Universidade da Espanha oferece bolsas de três meses para curso de espanhol


A Coordenadoria de Assuntos Internacionais da UFOP (Caint) informa que estão abertas as inscrições, até 04 de abril, para  o Santander Universidades. O Santander, por meio de convênio e parceria com a Universidad de La Rioja (UR), está oferecendo sete bolsas de três meses para um curso de espanhol na UR.O processo seletivo é aberto a todos os universitários brasileiros de graduação, pós-graduação, mestrado e doutorado. A bolsa inclui hospedagem em residência universitária, seguro saúde, curso completo de Língua Espanhola e um valor equivalente a 2 mil euros para cobrir passagens aéreas e custos extras. O resultado d! a pré-seleção será divulgado no dia 23 de abril.

O candidato ainda poderá escolher um dos três períodos disponiveis para estudar:

– Outubro 2012 – Dezembro 2012;
– Janeiro 2013 – Março 2013;
– Abril 2013 – Junho 2013.

O campus da Universidad está localizado na provincia de La Roja, na cidade de Logroño, ao norte da Espanha, a 336 km de Madrid. Todo o processo de inscrições e seleção é realizado pela Universidad de La Rioja.

Confira mais informações no site www.unirioja.es/espanhol/editalbolsa. Outras informações pelo telefone (31) 3559-1192.

IFMG recebe propostas de oficinas

IFMG – Campus Ouro Preto recebe propostas de oficinas culturais, esportivas e educativas

O Instituto Federal de Minas Gerais – Campus Ouro Preto, por meio da Diretoria de Inovação, Pesquisa e Extensão (DIPE), abriu edital para recebimento de propostas de oficinas de caráter cultural, esportivo, educativo e de inclusão digital por meio de novas tecnologias. A vigência do edital é de 8 de fevereiro a 31 de dezembro de 2012, período em que a DIPE receberá e avaliará as propostas de oficinas apresentadas. O objetivo é institucionalizar o Programa Oficinas, fortalecendo as já existentes, ampliando o número e diversidade das atividades abordadas pelo IFMG e também o número de pessoas da comunidade atendidas pelas ações financiadas e patrocinadas pela DIPE.

Toda a comunidade está convidada a participar, sejam servidores e alunos do IFMG ou não. Poderão ser proponentes de ações de extensão pessoas físicas ou jurídicas, legalmente habilitadas para as atividades propostas ou conforme currículo comprovado de atuação na área específica. As propostas deverão abranger uma das seguintes áreas: Cultura (artes cênicas, artes plásticas, artes visuais, dança e música); Esporte; Novas Tecnologias, visando à inclusão digital, e Educação voltada para a promoção da saúde e bem-estar social e novas linguagens. A avaliação das propostas levará em conta a adequação aos objetivos, o universo do público atendido, o mérito e a exequibilidade com relação ao cronograma e à infraestrutura para sua realização.

Inscrições e resultado

A inscrição dos projetos poderá ser realizada até 28 de setembro de 2012, encaminhando-se cópia dos documentos necessários para o e-mail dipe.ouropreto@ifmg.edu.br ou diretamente na DIPE, no Pavilhão dos Inconfidentes, 2º andar, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 18h. A documentação exigida para inscrição do projeto e do orientador pode ser conferida no Edital de Fluxo Contínuo para o Programa Oficinas Culturais, Esportivas e Educativas, disponível no site do IFMG – Campus Ouro Preto: http://www.cefetop.edu.br. O resultado da avaliação das propostas será informado por e-mail ao proponente e também será divulgado, na página da Instituição, na internet.

Outras informações: (31) 3559-2148 ou dipe.ouropreto@ifmg.edu.br

Programa de Licenciaturas Internacionais (corrigido)

Imprimir E-mail

Programa de Licenciaturas Internacionais

Objetivos:

O programa tem como objetivo elevar a qualidade da graduação, tendo como prioridade a melhoria do ensino dos cursos de licenciatura e a formação de professores, por meio da ampliação e dinamização as ações voltadas à formação inicial e implementação de novas diretrizes curriculares para a formação de professores, com ênfase no ensino fundamental e no ensino médio.

Projetos

Serão selecionados projetos de melhoria do ensino e da qualidade na formação inicial de professores nas áreas de química, física, matemática, biologia, português, artes e educação física.

Duração dos Projetos e universidades participantes:

Os estudantes de cursos de licenciaturas de universidades brasileiras permanecem até 24 meses em uma das seguintes universidades de Portugal: Universidade Nova de Lisboa, Universidade da Beira Interior, Universidade do Algarve, Universidade de Aveiro, Universidade de Coimbra, Universidade de Évora, Universidade de Lisboa, Universidade do Minho, Universidade do Porto, Universidade Técnica de Lisboa e Universidade Trás-os-Montes.

Benefícios:

  • Bolsas e passagens aéreas internacionais para estudantes brasileiros nos termos vigentes na Capes;
  • Passagens aéreas internacionais e diárias para docentes brasileiros em missão em Portugal.

Inscrições:

Até o dia 16 de abril de 2012

Programa e Edital: (Agora corrigido pelo Max e pelo PH, gracias!)

Programa de licenciaturas internacionais:

http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/portugal/licenciaturas-internacionais

Edital:

http://www.capes.gov.br/images/stories/download/editais/Edital_008_ProgramaLicenciaturasInternacionais_PLI.pdf

Programa de Intercâmbio e Difusão Cultural – MinC

O Ministério da Cultura, por meio da Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura (Sefic/MinC), divulga a lista dos habilitados no Edital n° 1/2012 do Programa de Intercâmbio e Difusão Cultural para viagens a serem realizadas no mês de abril.

Coordenado pela Sefic e com recursos do Fundo Nacional da Cultura (FNC), o Programa consiste na concessão de auxílio financeiro para o custeio de despesas relativas à participação de artistas, técnicos, agentes culturais e estudiosos em atividades culturais promovidas por instituições brasileiras ou estrangeiras.

O objetivo é estimular a difusão e o intercâmbio da cultura brasileira em todas as áreas culturais: artes cênicas, artes visuais, música, audiovisual, memória, movimento social negro, patrimônio museológico, patrimônio cultural, novas mídias, design, serviços criativos, humanidades, diversidade cultural, dentre outras expressões.

Resultado da fase de habilitação

Os interessados na interposição de recursos devem enviar formulário, até quarta-feira, dia 21 de março, exclusivamente pelo endereço eletrônico: recurso.sefic@cultura.gov.br

Formulário de recurso

Avaliação e seleção

A Comissão de Avaliação e Seleção do edital é composta por representantes do Ministério da Cultura e suas vinculadas (Funarte, Ibram, Iphan, Casa Rui Barbosa, Ancine, Fundação Cultural Palmares e Fundação Biblioteca Nacional).

As candidaturas são avaliadas e pontuadas de acordo com os quesitos do eixo escolhido. Os requerimentos recebem bonificação em sua pontuação de acordo com alguns critérios. Um deles leva em conta a unidade federativa de origem e candidaturas não originárias das capitais estaduais e de Brasília, ou cujas participações ocorram em eventos nacionais fora das referidas localidades.

Outro ponto beneficia requerimentos de povos e de comunidades tradicionais, incluindo, entre outros, povos indígenas, quilombolas, ciganos, povos de terreiro, irmandades de negros, agricultores tradicionais, pescadores artesanais, caiçaras, pantaneiros e ribeirinhos.

Também são bonificados os requerimentos de participação em acontecimentos nos países da América Latina, do Caribe e naqueles que fazem parte da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

Inscrições abertas

As inscrições são realizadas exclusivamente por meio do Sistema SalicWeb, disponível no site do MinCwww.cultura.gov.br. Os participantes devem ter uma das seguintes finalidades: apresentação de trabalho próprio; residência artística e de gestão; cursos de capacitação; ou participação em evento de reconhecimento ao trabalho próprio desenvolvido, como premiações e homenagens.

Viagens previstas para:

Encaminhamento das solicitações até:

Maio

30 de março de 2012

Junho

16 de abril de 2012

Julho

30 de abril de 2012

Agosto

31 de maio de 2012

Setembro

2 de julho de 2012

Orientações, dicas de inscrição, preenchimento de formulário e contrapartidas podem ser obtidas em cartilha explicativa elaborada pelo Ministério.

Confira aqui o Edital de Intercâmbio.
Veja aqui cartilha explicativa.

Mais informações
– Atendimento ao Proponente: (61) 2024.2082
Horário: segunda a sexta, das 9h às 12h, e das 13h30 às 17h

Nova Sessão: Oportunidades

Caríssimos e caríssimas,

Gostaria somente de destacar a inclusão de mais uma sessão em nosso blog: Oportunidades.

Neste link procuraremos divulgar todas as oportunidades que ficarmos sabendo sobre cursos, oficinas, residências, bolsas, intercâmbios e outras possibilidades que potencializem a formação e o trabalho de nossos estudantes.

Para inaugurar a sessão, começamos com o peso-pesado ArtBox, um motor de busca (em língua italiana) que publica diferentes oportunidades para artistas do (e no) mundo inteiro. Agradecemos aqui a contribuição de nosso querido Max Antunes por ter reencontrado essa pérola perdida nos mundos virtuais. Já utilizei muito essa ferramenta na minha época de estudante e agora espero que ela possa servir a vocês potencializando suas carreiras.

Gostaria aqui de deixar aberto este blog para a divulgação de outras várias oportunidades que vocês conhecem ou venham a conhecer. Basta indicá-las nos “comentários” que depois eu as transformo em um post e um link na sessão.

Bom trabalho e boas buscas a todos!  

Programa de Ayudas a la Movilidad para Profesionales Iberoamericanos de la Cultura

http://www.oei.es/movilidad/index.html

Presentación

La Organización de Estados Iberoamericanos para la Educación, la Ciencia y la Cultura (OEI) en virtud de su mandato como organismo internacional de carácter gubernamental para la cooperación entre los países iberoamericanos en los campos de la educación, la ciencia, la tecnología y la cultura en el contexto del desarrollo integral, desea contribuir a la  construcción  del espacio cultural iberoamericano como un ámbito propio y singular, con base en la solidaridad, el  respeto mutuo, la soberanía, el acceso plural al conocimiento y a la cultura, y el intercambio cultural.

Con este objetivo, la OEI, lanzó en 2009 el Programa de Ayudas a la Movilidad para Profesionales Iberoamericanos de la Cultura. Apoyado desde sus inicios por la Agencia Española de Cooperación Internacional para el Desarrollo (AECID), este programa brinda una oportunidad a los profesionales de la cultura de enriquecer su trabajo mediante su estancia temporal en entidades públicas y privadas de otros países iberoamericanos.

En el marco de la conmemoración de los Bicentenarios de la Independencia de las Repúblicas Latinoamericanas y de la Constitución de Cádiz, esta tercera convocatoria prioriza las propuestas relacionadas con la aportación de la cultura al desarrollo de los procesos democráticos y a la promoción y consolidación de los derechos humanos.

Tomando en cuenta la transformación significativa para la democracia y para el mundo de la cultura que ha supuesto la aparición y evolución de las tecnologías de la información y la comunicación desde finales del siglo XX, también se ha considerado oportuno priorizar igualmente aquellas propuestas que aborden la relación entre cultura y tecnología.

Bases

Primera. Objeto y finalidad

La presente convocatoria tiene por objeto promover el intercambio práctico de experiencias entre los profesionales de la cultura del ámbito iberoamericano mediante la concesión, en régimen de concurrencia competitiva, de ayudas a la movilidad.

Las ayudas tienen como finalidad la contribución al logro de los siguientes objetivos:

a) Fomentar el diálogo, la reflexión, el intercambio, la cooperación, el aprendizaje mutuo y la difusión de experiencias en el ámbito de la cultura.
b) Fortalecer los proyectos en curso y facilitar la puesta en marcha de iniciativas conjuntas y de redes estables de colaboración entre entidades y profesionales de  los diferentes ámbitos de la cultura y entre los distintos países de la Comunidad Iberoamericana.
c) Favorecer un mejor conocimiento de las diferentes realidades culturales iberoamericanas,

Segunda. Prioridades

En esta convocatoria se priorizarán aquellas propuestas que se inscriban en las siguientes líneas temáticas:

1. Contribución de la cultura a la construcción de la gobernabilidad democrática, al fomento de la participación de la sociedad civil en la vida pública, a la cohesión social y a la promoción y consolidación de los derechos humanos.

2. Relación entre la tecnología y el desarrollo de nuevas oportunidades de creación, producción y difusión de bienes y servicios culturales, así como su contribución a la formación de nuevos públicos, al intercambio cultural, y a la protección y promoción de la diversidad de las expresiones culturales, especialmente de las culturas tradicionales, indígenas, afrodescendientes y de poblaciones migrantes.

Tercera. Requisitos de participación
Podrán concurrir a estas ayudas las personas físicas que acrediten documentalmente los siguientes requisitos:

a) Desarrollar su actividad profesional en el ámbito de la cultura en una entidad pública o privada de un país iberoamericano.

b) Poseer la nacionalidad de alguno de los siguientes países iberoamericanos: Argentina, Bolivia, Brasil, Colombia, Costa Rica, Cuba, Chile, República Dominicana, Ecuador, El Salvador, España, Guatemala, Guinea Ecuatorial, Honduras, México, Nicaragua, Panamá, Paraguay, Perú, Portugal, Uruguay y Venezuela.

c) Contar con el apoyo de la entidad del país de origen y haber sido invitado o preadmitido por la entidad de acogida en el país de destino.

Dado el objeto de esta convocatoria, en ningún caso se concederán ayudas para cursar estudios dirigidos a la realización de estudios reglados o a la obtención de titulación académica. Las actividades desarrolladas con las aportaciones derivadas de esta convocatoria tampoco podrán dirigirse a fines comerciales.

Los beneficiarios, por el solo hecho de solicitar estas ayudas, se comprometen a aceptar el contenido de esta convocatoria y el resultado de la misma, así como la obligación de realizar la actividad que fundamenta la concesión de la ayuda en las fechas establecidas y en los términos aprobados. Toda modificación del programa inicial de la actividad deberá estar autorizada previamente por la OEI.

Los beneficiarios deberán aceptar la ayuda concedida mediante carta de conformidad a la dirección  y plazo que les sean indicados.

Los beneficiarios quedan obligados a someterse a las actuaciones de comprobación, seguimiento y evaluación que efectúe la OEI.

Cuarta. Presentación de solicitudes y plazos

Las solicitudes se realizarán a través de la página web:
http://www.oei.es/movilidad/formulario.htm

En este espacio será necesario completar unos datos para que en el plazo máximo de 24 horas se proporcionen las claves de acceso a la plataforma virtual donde se podrá inscribir a la convocatoria. Para poder participar en la convocatoria, será obligatorio adjuntar los siguientes documentos, en portugués o español:

  • Currículum vitae actualizado (máximo dos páginas).
  • Documento que acredite las funciones del puesto actual y el apoyo de la entidad de origen a la movilidad solicitada.
  • Memoria justificativa que motive la finalidad para la que se solicita la ayuda y cronograma que detalle la propuesta de actividades a realizar en el marco de la movilidad (máximo dos páginas).
  • Carta de invitación y datos de la persona de referencia de la entidad de acogida.

La fecha límite de presentación de solicitudes será el 6 de mayo

No serán admitidas las solicitudes que no reúnan los requisitos anteriormente citados o estuvieran incompletas.

La OEI podrá verificar en cualquier momento la veracidad de los datos presentados  y solicitar una ampliación de la información aportada.

La resistencia del beneficiario a proporcionar la información solicitada o la comprobación de la existencia de datos no ajustados a la realidad podrán comportar la denegación de la ayuda solicitada.

Quinta. Dotación de las ayudas

Las ayudas concedidas serán para el financiamiento del viaje y las dietas correspondientes, hasta un máximo de 30 días, conforme al baremo por países que se enlazaen el anexo I. También se concederán 150 dólares para gastos excepcionales y se pagará un seguro de viaje a cada uno de los beneficiarios de las ayudas.

Sexta. Plazo de ejecución

Las actividades incluidas en la movilidad deberán iniciarse a partir de  julio de 2012 y finalizar antes del 31 de diciembre de 2012

Interações Ambientais – Residências Artísticas abre inscrições

Estão abertas, até o dia 05 de abril, as inscrições para o projeto Interações Ambientais – Residências Artísticas, em Itacaré, na Bahia. O projeto viabilizará uma residência artística de quinze dias, de 07 de maio à 03 de junho, com dez artistas bolsistas selecionados. Os trabalhos desenvolvidos durante a residência têm por característica a criação individual de solos. A direção artística será de Cathy Pollini e Guillaume Lauruol, da Cia Dezeo Ito. Os resultados serão mostrados em uma exposição na cidade de Salvador com registros e obras produzidas durante a residência.

Para se candidatar é necessário ser intérprete-criadore com pelo menos 2 trabalhos desenvolvidos. Os candidatos deverão mandar uma proposta de projeto a
ser realizado durante os quinze dias da residência, para o e-mail: contato@pensamentotropical.com, com a ficha de inscrição anexada. Podem se inscrever artistas oriundos das artes visuais ou artes cênicas.Os resultados serão divulgados no site a partir do dia 15 de abril.

Este projeto foi ontemplado com o edital Klauss Vianna 2011.

O performer

Joseph Beuys - Coyote

de Jerzy Grotowski 

Translated by Thomas Richards e João Garcia Miguel

Performer, com letra maiúscula, é um homem de ação. Ele não é alguém que faz de outro. Ele é um fazedor, um sacerdote, um guerreiro: está fora dos géneros estéticos. Ritual é performance, uma acção conseguida, um acto. Ritual degenerado é um espectáculo. Eu não procuro descobrir algo novo, mas algo esquecido. Algo tão antigo que todas as distinções entre géneros estéticos deixem de ser necessárias.

Sou um professor do Performer (falo no singular: do Performer). Um professor – como no artesanato – é alguém através do qual o conhecimento está a ser passado; o conhecimento deve ser recebido, mas a forma do aprendiz o reconhecer só pode ser pessoal. E como é que o professor, ele próprio, chega ao saber do conhecimento? Por iniciação, ou por roubo. Performer é um estado do ser. Um homem de conhecimento, podemos falar dele referenciando os romances de Castaneda, se gostarmos de romantismos. Eu prefiro pensar em Pierre de Combas. Ou até deste Don Juan, descrito por Nietzsche como um rebelde para quem o conhecimento se apresenta como um dever; mesmo se os outros não o amaldiçoassem, ele sentir-se-ia um desafiador/reformador, um fora da lei. Na tradição Hindu fala-se de vratias (hostes de rebeldes). Vratia é alguém que está no caminho de conquistar o conhecimento. Um homem de conhecimento (czlowiek poznania) tem ao seu dispor o fazer e não ideias ou teorias. O verdadeiro professor – o que é que ele faz pelo aprendiz? Ele diz: faz. O aprendiz luta para perceber, para reduzir o desconhecido ao conhecido, para evitar fazer. No próprio facto de querer perceber, ele resiste. Ele apenas pode perceber depois de fazer. Ele fá-lo ou não. Conhecimento é uma questão de fazer.

Perigo e sorte

Quando eu uso o termo: guerreiro, talvez vos remeta para Castaneda, mas todas as escrituras falam do guerreiro. Podem encontrá-lo na tradição Hindu bem como na Africana. Ele é alguém que está consciente da sua própria mortalidade. Se é necessário confrontar-se com cadáveres, ele confronta-os, mas se não é necessário matar, ele não mata. Entre os Índios do Novo Mundo dizia-se que entre duas batalhas, o guerreiro tem um coração suave, como o de uma jovem rapariga. Para conquistar o conhecimento ele luta, porque a pulsação da vida torna-se mais forte e mais articulada em momentos de grande intensidade, de perigo. O perigo e a sorte caminham juntos. Não se tem classe a não ser em frente ao perigo. No momento do desafio surge a ritmização dos impulsos humanos. Um Ritual é um momento de grande intensidade; intensidade provocada; a vida torna-se, então, ritmo. Performer sabe conectar os impulsos corporais à melodia. (A corrente de vida deve ser articulada em formas.) As testemunhas entram, então, em estados de intensidade porque, por assim dizer, elas sentem a sua presença. E, isto é graças ao Performer, que é uma ponte entre a testemunha e este algo. Neste sentido, Perfomer é pontifex, fazedor de pontes.

Essência: etimologicamente, é uma questão de ser, ser sendo. Essência interessa-me porque nada nela é sociológico. É aquilo que não se recebeu dos outros, o que não veio do exterior, o que não é aprendido. Por exemplo, consciência é algo que pertence à essência; é diferente do código moral que pertence à sociedade. Se quebrarmos o código moral sentimo-nos culpados, e é a sociedade que fala em nós. Mas, se atuarmos contra a consciência, sentimos remorsos – isto é entre ti e o teu ser e não entre ti e a sociedade. Porque quase tudo o que possuímos é sociológico, a essência parece-nos ser algo com pouca importância, mas é nossa. Nos anos setenta, no Sudão, ainda havia jovens guerreiros nas vilas de Kau. Para o guerreiro com total organicidade, o corpo e a essência podem entrar em osmose: parece impossível dissociá-los. Mas este não é um estado permanente; não dura muito. Nas palavras de Zeami, é a flor da juventude. No entanto, com a idade, é possível passar de um corpo-e-essência para um corpo de essência. Isto acontecerá como resultado de uma difícil evolução, de uma transmutação pessoal, que é de alguma forma a tarefa de todos nós. A pergunta chave é: Qual é o seu processo? És fiel a ele ou lutas contra o teu processo? O processo é como que o destino de cada um, o seu próprio destino, que se desenvolve dentro do tempo (ou apenas lá permanece – e é tudo). Então: Qual é o nível de submissão ao teu próprio destino? Cada um pode conectar-se com o seu processo se aquilo que fizer for manter-se próximo de si mesmo, se não odiar aquilo que faz. O processo está conectado com a essência e leva-nos virtualmente ao corpo de essência. Quando o guerreiro está num curto período de osmose corpo-e-essência, deverá conectar-se com o processo. Ajustado ao processo, o corpo torna-se não resistente, quase transparente. Tudo estará iluminado, em evidência. Com o Performer, a performanceconsegue tornar-se próxima do processo.

O Eu-Eu

Pode ler-se nos textos antigos: Nós somos dois.O pássaro que debica e o pássaro que observa. Um morrerá, um viverá. Ocupados com o alimento, embriagados com a vida dentro do tempo, esquecemo-nos de fazer viver a parte de nós que observa. Por isso, há o perigo de existir apenas dentro do tempo, e de forma nenhuma fora dele. Sentir-se observado por esta outra parte de si próprio (a parte que está como que fora do tempo) dá-nos outra dimensão. Há um Eu-Eu. O segundo Eu é quase virtual; não é um – em si – olhar dos outros, nem qualquer julgamento; é como um olhar imóvel: uma presença silenciosa, como o sol que ilumina as coisas – e é apenas isto. O processo apenas pode ser conseguido somente no contexto desta presença constante. Eu-Eu: na experiência, o duplo não aparece separado, mas como uma unidade, única.

No caminho o Performer – apercebe-se da essência durante a osmose com o corpo, e depois trabalha-a no processo; ele desenvolve o Eu-Eu. A presença observadora do professor pode por vezes funcionar como um espelho da conexão Eu-Eu (pois esta junção pode ainda não ter sido encontrada). Quando o canal Eu-Eu é encontrado, o professor pode desaparecer e o Performer continua em direcção ao corpo de essência; isto pode ser – para alguém – como aquilo que se observa na fotografia de Gurdjieff, velho, sentado num banco de jardim em Paris. Da fotografia do jovem guerreiro de Kau até à de Gurdjieff acontece a passagem de corpo-e-essência ao corpo de essência.

Eu-Eu não significa estar dividido em dois, mas ser-se duplo. A questão é ser-se passivo na acção e activo na observação (reverter o hábito). Passivo: estar receptivo. Activo: estar presente. Para nutrir a vida do Eu-Eu, o Performer deve desenvolver, não um organismo-matéria, um organismo de músculos, atlético, mas um organismo-canal através do qual as energias circulam, as energias se transformam e o subtil é tocado.

O Performer deve fundar o seu trabalho numa estrutura precisa – fazendo esforços, porque a persistência e o respeito pelos detalhes são o rigor que permitem tornar presente o Eu-Eu. As coisas a fazer devem ser precisas. Não improvise, por favor! É necessário encontrar as acções, simples, tendo, no entanto, o cuidado de que elas sejam dominadas e que perdurem. Se não, elas não serão simples, mas banais.

Aquilo de que me recordo

Um dos acessos ao caminho criativo consiste em descobrir dentro de si uma antiga corporalidade à qual se esteja ligado por uma forte relação ancestral. Por isso não se está no personagem nem no não-personagem. Começando pelos pormenores pode descobrir em si um outro – o seu avô, a sua mãe. Uma fotografia, uma memória de rugas, o eco distante de uma cor da voz possibilita a reconstrução de uma corporalidade. Primeiro, a corporalidade de alguém conhecido, e depois cada vez mais e mais distante, a corporalidade de um desconhecido, o antepassado. Será literalmente o mesmo? Talvez não literalmente – mas talvez, como poderia ter sido. Poderá chegar bastante atrás, como se a sua memória acordasse. Este é o fenómeno da reminiscência, como se recordássemos o Performer do ritual primordial. Cada vez que descubro algo, tenho a sensação de que é aquilo que me recordo. As descobertas estão no passado e nós devemos viajar atrás para as alcançar. Com essa descoberta – como que regressando de um exílio – pode alguém tocar alguma coisa que não está ligada aos inícios, mas – e atrevo-me a dizê-lo – ao inicio? Eu acredito que sim. Será a essência o passado escondido da memória? Não faço ideia. Quando eu trabalho próximo da essência, tenho a sensação que a memória se actualiza. Quando a essência é activada, é como se fossem também activadas fortes potencialidades. A reminiscência é talvez uma dessas potencialidades.

O homem interior

Cito: Entre o homem interior e o homem exterior existe a mesma diferença infinita que entre o céu e a terra.

Quando estava na minha primeira causa, eu não tinha Deus, eu era a causa de mim. Aí ninguém me perguntava para onde eu tendia, nem o que estava a fazer; não existia ninguém que me questionasse. O que eu quisesse, eu era, e o que eu era, eu queria; estava livre de Deus e de tudo.

Quando saí para fora (fluí para fora) todas as criaturas falavam de Deus. Se alguém me perguntasse: – Irmão Eckhart, quando é que saíste de casa? – Eu estava ali há um momento atrás, eu era eu mesmo, eu queria-me a mim mesmo e conhecia-me a mim mesmo, para fazer o homem (que aqui por baixo eu sou). É por isso que eu estou por nascer, e pela minha condição de não nascido, eu não posso morrer. O que eu sou pelo meu nascimento morrerá e desaparecerá, porque é dado ao tempo e deteriorar-se-á com o tempo. Mas com o meu nascimento também nasceram todas as criaturas. Todas elas sentem a necessidade de ascender da sua vida para a sua essência.

Quando eu regressar, esta descoberta é muito mais nobre do que a minha saída. Nessa descoberta – lá, eu estou acima de todas as criaturas, nem Deus, nem criatura; eu sou o que eu era, e assim devo permanecer agora e para sempre. Quando eu chegar – lá, ninguém me perguntará de onde eu vim, nem onde eu estive. Lá eu sou quem era, não aumento nem diminuo, porque sou – lá, uma causa imóvel, que faz mover todas as coisas.

Nota (que acompanhou o texto “Performer” na brochura publicada pelo Workcenter em Pontedera, Itália): Uma versão deste texto – baseada numa conferência dada por Grotowski – foi publicada em Maio 1987 pela Art-Press em Paris, com o seguinte comentário por Geoges Banu: “O que eu proponho aqui não é uma gravação, ou um sumário, mas sim notas tiradas cuidadosamente, o mais próximas possíveis das fórmulas de Grotowsky. Deverão ser tomadas como indicações para uma trajectória e não como os termos de um programa, nem como um documento – acabado, escrito, encerrado.” O texto foi re-trabalhado e aumentado por Grotowsky para a presente publicação. Identificar Performer com os participantes do Workcenter seria um abuso do termo. A questão está apenas ligada aos vários casos de aprendizagem, de toda a actividade de “professor de Performer”, em que esta raramente ocorre.

IFAC promove aula inaugural do Mestrado em Estética e Filosofia da Arte

O Mestrado em Estética e Filosofia da Arte do Instituto de Filosofia, Arte e Cultura (IFAC) da UFOP realiza na próxima sexta-feira, 23 de março, a aula inaugural “Arte e modulação: por uma poética do vento”, a partir das 14h.

A aula inaugural será ministrada pelo Prof.Dr. Sílvio Ferraz da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) na sala 12 do IFAC, Rua Coronel Alves, 55, Centro, Ouro Preto – MG.

Ônibus para Yubiwa Hotel

Conseguimos um ônibus da UFOP para levar os alunos do DEART para o espetáculo Massive Water do Yubiwa Hotel, grupo japonês contemporâneo de dança-performance, neste sábado (17/03), às 18h, na FUNARTE de Belo Horizonte. O espetáculo terá início às 21h, e assim que terminar, retornaremos para Ouro Preto. Ainda há vagas no ônibus para os interessados, basta se inscrever com o Vinícius na Secretaria do DEART até hoje à tarde.

Release

MASSIVE WATER GRUPO YUBIWA HOTEL

YUBIWA HOTEL é um coletivo aberto, que trabalha com performance em suas mais variadas formas, criado e liderado por Shirotama Hitsujiya, que é autora, diretora e algumas vezes atriz destas performances. Yubiwa Hotel surgiu em 1994, com a ideia de colocar em xeque o teatro comercial e a indústria cultural japonesa, propondo o desmonte e a mixagem da cultura tradicional e da cultura pop japonesa. Yubiwa Hotel tem se apresentado dentro e fora do Japão desde 2003, realiza tournées tendo se apresentado em Tokyo, Osaka, Kyoto, Cardiff, Londres, São Paulo, Portland e Nova York entre outras.

Shirotama Hitsujiya, é considerada a primeira e uma das mais importantes dramaturgas pós-dramáticas japonesa.

“MASSIVE WATER – ENCHENTE” é um projeto sobre a vida e a morte, tendo personagens zumbis como símbolos maiores. O Zumbi nesta performance é um símbolo que representa a cultura japonesa, onde o cidadão comum está preso a padrões estabelecidos e arcaicos, extremamente limitadores, mas que sobrevivem de uma forma impositiva e viva no cotidiano das cidades japonesas.

No começo do séc 21 uma mulher se mistura a um coelho e se transforma em um zumbi: ser nômade, feminino e alegórico. Um tanto a personagem-ícone de Alice no País das Maravilhas e ao mesmo tempo um sem-teto da cidade de Tóquio. Esta figura mulher-coelho segue empurrando seu carrinho morada – meio de produção, suas inutilidades e sua horta ambulante, lutando pela sobrevivência e fazendo saladas. Ao encontrar outros seres ela interage com eles através do ritual humano do comer juntos. Sua luta diária é pela preservação de seu carrinho-morada- meio de produção, e seu caminho tem como meta reencontrar um lugar ideal para interromper seu nomadismo. No final do séc 21, o momento desta performance, ela chega naquele lugar e encontra ali um homem- gambá que é também um Zumbi. A mulher-coelho e o homem-gambá se identificam imediatamente e percebem que ambos buscam a mesma coisa: escapar de sua meia vida imortal, dividir sua pouca comida e através destas simples ações, encontrar respostas.

Uma fábula de aparência ingênua mas ao mesmo tempo perversa, em um Japão pós/pré apocalipse, que coloca aos espectadores os vazios da cultura japonesa e seus disfarces, seus “avatares”, retomando desta forma questões fundamentais do homem contemporâneo. O excesso e mixagem de referências, orientais e ocidentais mistura Carrol, Kantor, vídeo games, estéticas teatrais barrocas e contemporâneas, filmes B japoneses, figuras míticas japonesas como samurais e personagens de ficção cientifica, fazendo da performance um terreno alagado e movediço sem pontos de apoio, mas deslizante, pleno de derivas e derrilições como é o mundo hoje.

Texto e Direção Shirotama Hitsujiya | Atores Shirotama Hitsujiya, SKANK | Direção de Arte Akiko Sakata, Yuya Ishikawa | Figurinos Ikuko Okazaki (ROCCA WORKS), Mayumi Iijima | Música Nibroll | Maquiagem Daisuke Yamada | Design de Luz Kaoru Ito, Tatsuya Nagai (Stagecrew Network) | Design Sonoro Teppei Maeda (Stagecrew Network) | Multimídia Keisuke Takahashi – Nibroll | Direção de palco Yoshinori Itoyama (Stagecrew Network) | Direção de Produção Yuko Itoyama, Asuka Ohmaru – Art Management Center Fukuoka