Open Program do Workcenter Jerzy Grotowski – Seleção

Workcenter

Open Program do Workcenter – Seleção 
em Belo Horizonte, Brasil.

De 25 a 28 de Julho de 2012

Caros amigos,

Para a equipe do Open Program do Workcenter of Jerzy Grotowski and Thomas Richards, chegou o momento de incluir novos companheiros nas suas aventuras criativas.

Nós estamos procurando colegas que possam se juntar à nossa equipe, preferivelmente colegas que tenham a capacidade de tocar um ou vários instrumentos musicais.

De 25 de Julho a 28 de Julho, estaremos na cidade de Belo Horizonte e dedicaremos estes dias para nos encontrar com todos aqueles que compartilhem o mesmo desejo.

Em sessões de trabalho com cantos e ações, no espaço comum do trabalho criativo, vamos perceber se uma espécie de necessidade mútua de trabalharmos juntos aparece. Alguns participantes podem ser convidados a fazer parte da equipe.

Por esta razão, seu tempo conosco pode ser de no mínimo uma manhã e pode se estender por no máximo quatro dias.

Se você quiser vir, por favor, nos envie uma carta de motivação e seu CV para: selections@theworkcenter.org. Logo, nós informaremos o horário e o lugar dos encontros.

Se você estiver interessado em participar, prepare uma proposta de ação de 2 minutos baseada em uma canção ou em um pequeno texto, que sejam significativos para vocês.

E, se você sabe tocar algum instrumento musical, por favor, traga-o. Sugerimos que você o utilize na sua cena.

Workcenter of Jerzy Grotowski and Thomas Richards

Para mais informação sobre o Workcenter: www.theworkcenter.org

O patrocinador principal do Workcenter é a Fondazione Pontedera Teatro

New Logo Fondazione

O Workcenter of Jerzy Grotowski and Thomas Richards deseja agradecer a Bill Reichblum & Kadmus, Inc. por seu apoio.

Anúncios

III MID 2012 – Viçosa (nova data)

http://www.midmostra.com/

O que é

Com intuito de estimular a produção artística independente, a MiD, realizado na cidade e Universidade Federal de Viçosa – MG, abre espaço àqueles que desejam expressar-se através das diversas linguagens artíticas, incluindo: música, teatro, performance, circo, dança, literatura, artes visuais, intervenções diversas. Criando espaço para o desenvolvimento dos artistas nas áreas de produção, direção, composição, entre outros. A MiD propõe a produção independente dos trabalhos de estudantes de arte, artistas profissionais, bem como apreciadores, pesquisadores e amantes intrépidos da arte. É um espaço de estudo, trocas de experiências e divulgação destes trabalhos. Sobretudo a MiD proporciona experiência na auto-gestão – iluminação, cenografia, sonoplastia, figurino, maquiagem, improvisações, produção, divulgação, criação.

Objetivos

Criar um espaço para fomentar a produção artística e cultural na cidade e Universidade Federal de Viçosa. Espaço este, que inclua discussões, pesquisa, exposição de trabalhos práticos, entre outros. Promovendo a formação do público em artes, para que, tanto aqueles que já mantêm contato com a arte, quanto daqueles que não têm oportunidade para tal, possam desfrutar deste espaço.

Justificativa

A importância de uma Mostra Independente dentro da Universidade Federal de Viçosa se faz presente desde o início da criação do curso de Dança. Sendo o único curso de artes dentro da Universidade, verificamos a necessidade da criação da MiD como uma oportunidade de aplicação prática dos conhecimentos adquiridos ao longo da graduação, além da criação de um espaço efetivo para mostra das produções de arte locais, o intercâmbio de obras artísticas, a abrangência dos mais diferentes públicos, tudo isso cooperando para promover transformações efetivas no panorama cultural e artístico da cidade de Viçosa. Os trabalhos apresentados são elaborados pelos estudantes, artistas viçosenses e de outras localidades. A equipe de produção da Mostra e composta por alunos da graduação de Dança e demais interessados que se unem para promover através de um trabalho coletivo que coloca em prática todos os procedimentos necessários à uma produção em Arte.

O histórico da MiD

A construção de uma Mostra Independente surgiu a partir de uma insatisfação com os movimentos artísticos estudantis da Universidade Federal de Viçosa, a qual, possuindo um curso de Dança, havia espaço aos estudantes para apresentarem seus trabalhos orientados pelos docentes em festivais construídos pelos mesmos.

A orientação e os festivais são experiências muito interessantes para um estudante em formação profissional artística, porém, seu lugar é especialmente o do intérprete, o qual passa pela preparação de palco, passagem de luz, contato com o público, e toda parte técnica; atrás dos bastidores, patrocínios, equipe técnica, montagem de material de divulgação entre outros fatores importantes para a realização de um evento, ficam camuflados aos cuidados de professores.

Os trabalhos apresentados, também são todos orientados por professores, de modo que a produção independente de um trabalho, espetáculo, performance ou cenas e esquetes produzidas inteiramente por um estudante é vetada nesses festivais, talvez por cuidados “especializados” através dos olhares superiores de professores que não permitem “qualquer trabalho experimental” em suas realizações festivas no final do ano.

Desse modo, e por todos esses motivos, no ano de 2010, eu e uma colega do 3° período do curso de Dança, Lina Arruda, resolvemos investir na tentativa de construir um momento, em um espaço, no qual, os estudantes poderiam se arriscar, errar, discutir, apresentar, falar e expressar quaisquer idéias, trabalhos criados particularmente independentes e, com a ajuda de outros estudantes interessados do curso, aprenderíamos “na marra” os trâmites técnicos da produção de um evento, desvendaríamos o segredo da casinha de som e luz, trabalharíamos com marketing, apoios, patrocínios, etc.

No mês de junho de 2010 acontecia a primeira MID, a primeira Mostra Independente de Dança, com dois dias de evento, uma hora para cada dia e, trabalhos inscritos de estudantes do curso de Dança e também um dos trabalhos de um estudante do departamento de Ed. Física, o que nos deixou muito felizes na época, pois a idéia do nome MID, apesar de ser Dança, a intenção de haver quaisquer manifestações artísticas era grande, apenas partimos de um lugar que acreditávamos fazer sentido para os estudantes que estavam desestimulados com a produção independente.

Ao final de cada dia, os intérpretes poderiam fazer a discussão de seu trabalho e o público tinha a possibilidade de debater, discutir e tirar dúvidas com os próprios intérpretes sobre as obras, momento que consideramos importante, pois a relação intérprete/espectador ao tornar-se mais próxima pode sugerir muitas idéias e trocas de percepções, proporcionando um debate sobre a cultura contemporânea atual e a interação do artista com as visões iminentes e atuais da cultura erudita e popular, que atua não só em Viçosa, mas em grandes metrópoles, ou seja, é um diálogo que serve como instrumento fundamental de estudo, uma vez que se cria para expandir e compartilhar conhecimentos.

O acontecimento da primeira MID trouxe novos interessados não só em apresentar na mostra, mas também em participar da produção, de modo que em 2011 abrimos inscrições para pessoas que quisessem fazer parte de uma Comissão Organizadora da mostra, e então se criou a Comissão daquele ano, formada por sete integrantes, estudantes do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da Universidade Federal de Viçosa, ou seja, não apenas estudantes do curso de Dança se interessaram pela proposta.

No ano de 2010 a Mostra aconteceu dentro da Universidade, no Teatro do DED com o apoio da Divisão de Assuntos Culturais (DAC) da UFV, em 2011 a MID aconteceu na cidade de Viçosa, no centro cultural Casa Arthur Bernardes e, teve três dias de duração, com apresentações de Dança, Teatro, Música e performances. Na II MID tiveram apresentações de artistas não apenas do Curso de Graduação de Dança, mas também de outros cursos da Universidade Federal de Viçosa bem como dos grupos de cultura da região como o Congado de Airões – MG que participou de um cortejo cultural pela cidade de Viçosa, este que foi trazido para a participação do Fórum de Cultura, projeto desenvolvido dentro da Universidade com a intenção de criar uma Política Cultural para a Universidade Federal de Viçosa.

Esse diálogo entre a MID e o Fórum de Cultura estava intrinsecamente ligado, devido às intenções particulares de cada proposta, a não centralização da cultura e sim sua expansão, a conexão entre os agentes culturais da cidade/Universidade e a aprendizagem da auto-gestão, tanto na construção de um evento independente como a MID, quanto à consolidação de uma Política Cultural dentro de uma Instituição como a UFV.

Neste ano a MID vem novamente com a proposta de um evento independente, com uma nova Equipe de Produção e novas parcerias e apoios. Na III MID a proposta não é apenas de ocorrer uma mostra expositiva de artes, mas também proporcionar aos participantes o acesso às artes com oficinas artísticas gratuitas oferecidas a comunidade universitária e viçosense, bem como estimular a reflexão sobre arte e cultura com mesas de discussão nas quais serão abordados os temas “O corpo na contemporaneidade” e “Políticas Públicas para Cultura”.

Nesta III edição da MID que acontecerá nos dias 24, 25 e 26 de novembro de 2012 no centro cultural Casa Arthur Bernardes e na Sede do Curso de Dança da Universidade Federal de Viçosa acontecerão também apresentações de grupos artísticos convidados já consolidados da Universidade Federal de Viçosa e da cidade de Viçosa.

 Por: Brenda Villatoro e Aline Vilela

8º Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero

8º Prêmio

O Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero consiste em concurso de redações, artigos científicos e projetos pedagógicos, dirigido a estudantes de Ensino Médio, Graduação, Pós-Graduação e Escolas da Educação Básica na área das relações de gênero, mulheres e feminismos, contemplando suas interseções com as abordagens de classe social, geração, raça, etnia e sexualidade.
Maiores informações:

Panorama Sur

 
Desde Panorama Sur, queremos invitarlos a que conozcan la programación de nuestros Workshops 2012 destinados a actores, directores, autores, artistas visuales, bailarines y coreógrafos.
PANORAMA SUR es un espacio de creación y formación para artistas que se ha consagrado como una plataforma de intercambio internacional. Se trata de un programa intensivo de artes escénicas que cada año conjuga a lo largo de cuatro semanas un seminario para dramaturgos, workshops y clases magistrales dictadas por reconocidas personalidades locales y extranjeras, y la presentación de aclamados espectáculos internacionales abiertos al público.
WORKSHOPS: Panorama Sur programa para esta edición cuatro workshops, dirigidos por consagrados artistas del mundo, que se inspiran en la idea de ir más allá de la representación y pensar las prácticas teatrales en formatos no convencionales. Todos se realizarán en la sede delIUNA de Bartolomé Mitre 1869, 2do piso contrafrente, en la Ciudad de Buenos Aires. Se requiere de postulación previa con envío de CV a info@panorama-sur.com.ar. Cupo especial alumnos IUNA. 
•         VARINIA CANTO VILA (Bélgica): “Visitando ideas de movimiento”,18, 20 y 21 de julio.
•        RICHARD MAXWELL & TIM FLETCHER (EEUU): “Texto y movimiento”, 20, 21 y 22 de julio.
•        CHRISTOPHER ROMAN (EEUU/Alemania): “Acercamiento a los métodos de improvisación forsythe: crear posibilidades y hacer elecciones”, 1, 2, 3 y 4 de agosto.
•        UGO ALEXANDRE & RONIELSON ARAÚJO (Brasil): Integrantes del GRUPO DE RUA dirigido por Bruno
Beltrão, 19, 20 y 21 de julio.
Más info en la gacetilla adjunta.
 
CLASES MAGISTRALES: Entre el 18 y el 28 de julio, Panorama Sur presenta su ya consagrado Ciclo de Clases Magistrales abiertas al público en el Auditorio Malba, Fundación Costantini. Cinco encuentros que, en su conjunto, proponen reflexionar en torno a la idea de ir más allá de la representación y pensar las prácticas teatrales en formatos no convencionales. Este año contamos con artistas de Estados Unidos, Brasil, Chile y Argentina: Richard Maxwell en diálogo con Alejandro Tantanian, Bruno Beltrão en diálogo con Susana Tambutti, Manuela Infante, Federico León en diálogo con Alan Pauls y Beatriz Catani.Destinado a personas vinculadas al ámbito teatral y al público en general. Entradas en venta en la boletería del Malba de lunes a domingo (no martes) de 12 a 19.  Más info en la gacetilla.

 
Ciclo 2012: Más allá de la representación
 
Entre el 18 y el 28 de julio, Panorama Sur presenta su ya consagrado Ciclo de Clases Magistrales abiertas al público en el Auditorio Malba – Fundación Costantini.
 
Cinco encuentros que, en su conjunto, proponen reflexionar en torno a la idea de ir más allá de la representación y pensar las prácticas teatrales en formatos no convencionales.
 
Destinado a personas vinculadas al ámbito teatral y al público en general.

Lugar: Malba – Fundación Costantini. Av. Figueroa Alcorta 3415 / CABA

Inscripción en la recepción del Malba, de lunes a domingo (excepto los martes) de 12 a 19.30hs.

Costo por las cinco clases (ciclo completo): $200 / Costo por una clase: $ 50

Cada Clase Magistral tendrá una duración de 90 minutos.

Los últimos 30 minutos de cada Clase Magistral estarán dedicados a abrir un diálogo entre el artista expositor y el público.

Cronograma de Clases Magistrales

Miércoles 18 – 18hs

Richard Maxwell en diálogo Alejandro Tantanian.

Richard Maxwell en diálogo con Alejandro Tantanian

— Estados Unidos

Ver CV Maxwell>

Ver CV Tantanian>

Sábado 21 – 12hs

Bruno Beltrão en diálogo con Susana Tambutti.

Bruno Beltrão en diálogo con Susana Tambutti

— Brasil

Ver CV Beltrão>

Ver CV Tambutti>

Con la cooperación de IUNA, Festival Tempo y Funceb.

Lunes 23 – 18hs

Manuela Infante.

Manuela Infante

— Chile

Ver CV Infante>

Miércoles 25 – 18hs

Federico León en diálogo con Alan Pauls.

Federico León en diálogo con Alan Pauls

— Argentina

Ver CV León & Pauls>

Sábado 28 – 12hs

Beatriz Catani.

Beatriz Catani

Desde lo efímero

— Argentina

Ver CV Catani>

Los invitamos a visitar nuestra web para más info: www.panorama-sur.com.ar

Ante cualquier consulta, no duden en escribirnos a info@panorama-sur.com.ar.

Edital Novos Coreógrafos – Centro Cultural São Paulo

Jardim das Esculturas CCSP / Foto: Sônia Parma

Estão abertas até, 31 de julho, as inscrições para o edital Novos Coreógrafos – Novas Criações: Site Specific do Centro Cultural São Paulo. O edital tem como objetivo promover o desenvolvimento de pesquisas realizadas por jovens, estudantes e/ou profissionais da dança, que resultem em obras coreográficas criadas para as especificidades arquitetônicas, culturais e históricas do Centro Cultural São Paulo. Os espaços que poderão ser utilizados para a criação são: Piso Flávio de Carvalho (área externa), Jardim Sul, Jardim das Esculturas, Jardim Superior, Foyer e Rampas do Metrô. Veja as plantas do centro cultural aqui.

Serão selecionados até cinco projetos com propostas de criação de oito espetáculos ou performances inéditas para serem apresentadas em dezembro. Para se increver é necessário ser estudante ou profissional de dança, com idade entre dezesseis e trinta anos, preencher a ficha de inscrição (anexo I) e encaminhá-la até, 31 de julho, para os e-mails ccspdanca@prefeitura.sp.gov.br e ccspdanca@gmail.com.

Confira o edital completo aqui.

O Centro Cultural São Paulo fica na rua Vergueiro, 1000, Paraíso, São Paulo. Telefone: (11) 3397 4002.

1º Festival de Artes do Corpo: reperformance

Criado pelo grupo de pesquisas Intervenções em Lugares, Espaços e Adjacências (Ilea) do Instituto de Artes e Design (IAD), da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), o 1º Festival de Artes do Corpo: Reperformance, tem a pretensão de ser um evento anual no qual as poéticas centradas no corpo possam ser analisadas e experimentadas tanto por estudantes, artistas e pesquisadores, quanto pelo público em geral. As inscrições para trabalhos já estão abertas e vão até 31 de agosto.
O festival terá sua primeira edição em novembro de 2012, com foco na Reperformance, modalidade na qual o artista se baseia em uma performance já consagrada e a repensa, transpondo para sua área de atuação, como fotografia, artes plásticas, audiovisual ou qualquer outro meio de expressão de arte.
Nesta primeira edição, a programação será distribuída em três dias de atividades e apresentações nas quais os participantes farão releituras e reedições de performances notoriamente emblemáticas. As propostas serão selecionadas por edital e poderá participar qualquer pessoa que se interesse pelo tema, desde que o trabalho proposto aborde os problemas da performance, da arte relacional e da reutilização de produtos culturais na arte contemporânea.
Lúcio Agra, referência nos estudos da performance no Brasil, será um dos convidados. Artista e professor, reside em São Paulo, e ministra aulas na PUC. Também participa de um grupo de estudos em performance, tendo vários trabalhos nessa área.
Priscila de Paula, docente do IAD e organizadora do evento, ressalta que o evento é voltado para todos os artistas “que se interessam pelo corpo como ponto de partida, ou fundamento, numa produção poética”.
Interessados devem enviar seus projetos para o endereço inscricoesfac@gmail.com
Clique aqui para acessar o edital do 1º Festival de Artes do Corpo: Reperformance
Clique aqui para efetuar a inscrição
Outras informações:  (32) 2102 3354  (IAD)
Algumas considerações sobre releituras e pós-produção em arte contemporânea, performance e reperformance.
Pós- produção, termo assimilado para o mundo das artes por Nicolas Bourriaud  (Pós-Produção, SP: Martins Fontes, 2004) é o fenômeno artístico de interpretar reproduzir, assimilar, tomar para si, resignificar, reexpor produtos culturais disponíveis ou obras de arte realizadas por terceiros. Este dar novos usos à produtos culturais já existentes tem atraído um número cada maior de jovens artistas interessados em determinadas questões contemporâneas da arte, como produzir singularidades ou como recriar sentidos a partir de objetos, nomes e referências que constituem nosso cotidiano. Assim os artistas se tornam agentes de reconstrução deste cotidiano saturado de informações, reprogramando novas formas, dando novos sentidos à palavra uso e consumo. Ao contrário do pensamento modernista que se preocupava em criar algo novo, artistas contemporâneos podem se dedicar a inventar novos protocolos de uso a formas culturais já existentes, tomar posse e re-habitar antigos signos.
Por sua vez, as práticas poéticas focadas no corpo também têm tido um avanço importante no panorama artístico atual e o que antes podia ser facilmente entendido como performance, dança, ou cena curta, hoje abrange um enorme contexto de ações que acontecem entre paredes, nas cidades ou na internet; que podem ou não fazer uso de várias aparatos tecnológicos; que envolvem participações diretas ou sutis; que criam convivências, interatividades, modelos de sociabilidade, etc.; e por serem tão plurais atualmente, mesclam-se amiúde com as práticas de pós-produção na reutilização de signos culturais, na reprogramação de obras existentes, na apropriação de estilos e formas historicizadas, etc.

Repetir ou refazer de forma diversa uma performance própria, ou até mesmo se apropriar da performance de outro artista é uma prática atual que se abre ao debate, não só da pós-produção artística da cena contemporânea, mas sobre a efemeridade da própria performance. Neste esforço de torná-la material, recorremos uma série de informações sobre os procedimentos das performances e é através da posse deste material que a reperformance se torna viável e interessante como pesquisa e prática na arte.  Um bom exemplo disso foi o evento organizado por Jens Hoffman em 2001, denominado “A little bit of history repeated” no Kunst-Werke Institut of Contemporary Art em Berlim. Durante três dias, várias performances foram reinterpretadas por diversos artistas a partir de ações, documentos escritos, fotografias, objetos, etc. Segundo seu curador, A little bit of history repeated “propunha investigar, através do caráter efêmero da performance, a idéia de acervo expondo o corpo como uma forma flexível de arquivo” (MELIM, R. Performance nas artes visuais, RJ: Zahar, 2008, p. 25). Tudo isso tem a ver também com o que Marina Abramovic postulou, “a performance só pode viver se for apresentada de novo”.

Convocatória – residência artística em Copenhagen

Confira aqui a chamada em PDF (inglês)

CALL FOR APPLICATIONS FOR ARTISTS IN RESIDENCE AT HOTEL PRO FORMA, COPENHAGEN

 

Hotel Pro Forma offers a unique opportunity to one or two professional artists with suitable projects. Applicants will be able to develop their projects for three to six months at Atelier Hotel Pro Forma in Copenhagen.

Depending on the artist or project, the project may be produced as an Atelier Hotel Pro Forma production during the residency, but it may also be produced as an independent project once the residency is completed.

The application deadline is 15 August 2012, and artists may begin at Hotel Pro Forma from the beginning of 2013, depending on the project and wishes of the individual artists.

Artists who apply must be professional and have documented experience in developing interdisciplinary work. Projects may be anchored in the performing arts, but it is not a requirement. Projects which have the possibility of creating new forms of collaboration across existing art forms will be given priority.

Applicants are required to:

  • send in a completed application form plus CV.
  • have own laptop complete with the software necessary to develop your artistic concept.
  • have the ability to finance your own trip and residence at Hotel Pro Forma, although in most cases funding will be possible to cover these expenses.
  • meet deadlines with regards to project milestones, deliverables
  • work in an international team of artists, interns, technicians and producers.

Hotel Pro Forma offers:

  • access to our organisation and network of artists, technicians and producers.
  • help with finding accommodation in Copenhagen and locating funding sources to pay for the residency which may cover accommodation, flights and possibly a small bursary (stipend).
  • evaluation of your project on a conceptual, artistic and organisational level.
  • an interesting, inspiring and open environment to develop artistic work.

Applications marked “Artist in Residence” must be sent electronically to mail@hotelproforma.dk before 15. August 2012.

Convocatória Lakka

O intérprete-criador Vanilton Lakka abre seleção para o elenco de seu novo projeto Mono-Blocos – Ocupação, Interação e Ação na Praça, que acontecerá em Urbelândia, Minas Gerais, e terá duração de dois anos. Este projeto acontecerá em duas etapas, a primeira, uma residência, onde os intérpretes-criadores irão realizar pesquisa e produção da proposta cência através da ocupação itinerente nas praças de Urbelândia, que levará a vivência e os processos para as criações. Na segunda fase serão apresentados os resultados do processo de residência, a obra será exposta em vários blocos de estruturas coreográficas que apresentem como características principais a mobilidade, flexibilidade e a constante interação com a cidade em seus aspectos físico-sociais, com a presença de intérpretes com formações diversas como, dança de rua, dança urbana, le parkour, teatro, performance, artes marciais e circo.

Para se candidatar é necessário enviar até o dia, 25 de junho, para o e-mail, suportelakka@yahoo.com.br, as seguintes informações: currículo resumido, com no máximo 1000 caracteres; carta de intenção; link ou vídeo de no máximo cinco minutos com a movimentação própria do candidato; dados pessoais e formas de contato. O resultado da triagem será divulgada no dia, 30 de junho. Os pré-selecionados participarão de uma residência entre os dias, 09 a 15 de julho, o resultado final será divulgado no dia 15 de julho, serão selecionados seis inscritos.

Confira mais detalhes aqui.

MOV-S Cádis 2012

Começou na última quinta-feira, 14 de junho, o MOV-S Cádis 2012. O festival que vai até domingo, 17 de junho, é um espaço de intercâmbio internacional de dança e das artes do movimento. Com cárater itinerante, ele já passou por Barcelona, em sua primeira edição em, 2007, pela Galícia em 2008, por Madrid em 2010, e volta em 2012 na cidade de Cádis, sul da Espanha. A proposta é desenvolver um trabalho colaborativo onde os colaboradores podem refletir sobre as experiências compartilhadas em relação aos modos de trabalhar a dança, as artes do movimento e a criação contemporânea na america latina.

O encontro em Cádis contemplará apresentações de espetáculos, projetos e experiências, e grupos de trabalho. O objetivo é propor um espaço para a troca de ideias, reflexões e pensamentos, refletir sobre as responsabilidades, direitos e ações de articulação e estruturação a serem desenvolvidas no contexto da dança e dos movimentos contemporâneos. Dentre os temas dos gupos de trabalhos está a,Sustentabilidade das práticas artísticas, colaboração público-privada e mobilidade e visibilidade; na programação artítica Cristian Duarte representa a dança brasileira com o espetáculo The Hot One Hundred Choreographers no sábado, dia, 16 de junho.

Confira a programação completa aqui.

MOV-S acontecerá em vários lugares na cidade entre eles estão: Baluarte de la Candelaria, ECCO (Espacio de Creación Contemporánea), Teatro Falla, Sala Central Lechera e o Teatro de la Tía Norica. Confira os endereços aqui.

O segredo da ação. Fotografia, Vídeo, Improvisação

 

FOTOGRAFIA, VIDEO, IMPROVVISAZIONE.

Workshop aperto a fotografi, videomaker, performer, musicisti, danzatori e a tutti coloro interessati ad indagare la relazione tra sguardo e azione.

9, 10, 11 novembre 2012
Prima edizione “assoluta”
Milano – Teatro dell’Arte – Viale Alemagna, 6
Direzione e concept: Roberto Masotti
Coordinamento: Takla Improvising Group
Il workshop è inserito nella IX edizione del “Festival Pulsi Corpi e Suoni in tempo reale”.

L’associazione culturale Takla Improvising Group, attiva dal 1998 nel campo dell’arte dell’improvvisazione, organizza un workshop di perfezionamento aperto afotografi, videomaker, performer, musicisti, danzatori e filosofi che indaga, per la prima volta in Italia, il tema del rapporto tra fotografia, nuove tecnologie e improvvisazione.
Il workshop, aperto a un massimo di 20 partecipanti, si terrà sul palcoscenico del Teatro dell’Arte di Milano nei giorni 9, 10, 11 Novembre 2012.
Al workshop si accede tramite bando con scadenza 21 settembre 2012. Bando e scheda iscrizione in allegato
Il programma prevede una parte di lezioni teoriche e una parte di esercitazioni pratiche per un totale di 24 ore in cui i partecipanti potranno sperimentare dal vivo le tecniche apprese e mettere concretamente in pratica gli spunti e le riflessioni teoriche fotografando e riprendendo alcune azioni performative inserite nel Festival Pulsi.
Oltre a Roberto Masotti, interverranno Paolo Angeli, Silvia Bolognesi, Tuia Cherici, Leonardo Delogu, Silvia Lelli, Giancarlo Lo Presti, Filippo Monico, Cristina Negro, Edoardo Ricci, Franco Senica, Carlo Serra.


CONTATTI
Takla Improvising Group
tel. +39 02 55183323 / 331 8226439
e-mail: organizzazione@takla.it
www.takla.it

………save the date 9 >13 novembre 2012 FESTIVAL PULSI

Nell’ambito della residenza TAKLA Improvising Group  sostenuta da  Fondazione Cariplo / progetto Etre