Oficinas “Antes da cena” no DEART/UFOP

Logo DEART branco

O DEART/UFOP recebe no dia 11/11 as oficinas do projeto “Antes da cena”, na sala 35 da Escola de Minas. Inscrições na secretaria do departamento.

Esse é um projeto realizado pelos profissionais envolvidos na criação do espetáculo Antes do Silêncio, com objetivo de compartilhar com estudantes e artistas de outras comunidades suas experiências pessoais e profissionais que os levaram ao processo de criação do espetáculo que ganhou os prêmios mais importantes das artes cênicas no ano de 2011/2012.

JUSTIFICATIVA

A oficina é um projeto que tem como objetivo o compartilhamento e a troca de experiências com as comunidades que vão além da apresentação de um espetáculo.  Permite um olhar diferenciado do espetáculo e do processo que o originou. Através de aulas práticas e conversas com os profissionais envolvidos, o participante poderá conhecer um pouco do grande mergulho que se é dado para chegar à concepção de um espetáculo. Serão abordados os questionamentos da direção, a construção do corpo e da voz do personagem , a atuação, a interpretação e o jogo entre os atores e elementos fundamentais como a criação e confecção e do cenário e do figurino.

OBJETIVOS

A experimentação, o jogo, o estímulo ao artista como criador são ferramentas imprescindíveis para a construção do teatro como coletivo, de maneira que o participante possa desenvolver sua atenção, escuta, disponibilidade e concentração, elementos imprescindíveis para a prática teatral. A proposta das atividades é instrumentalizar o artista, investigar as diversas formas de abordagem da cena, pesquisar diferentes linguagens e possibilitar experiências que revelem um vocabulário mais rico e diverso. As oficinas são direcionadas para investigação infinita que há além das palavras e serão voltadas para estudantes das artes cênicas, atores, dançarinos, músicos, educadores e profissionais afins.

CRONOGRAMA

9h Oficina de Direção e Dramaturgia – ministrada pelo diretor Eid Ribeiro;

11h Oficina de Interpretação – ministrada pelo ator Rodolfo Vaz;

13h Pausa

14h Oficina do Corpo – ministrada pela atriz e bailarina Fernanda Vianna;

16h Oficina de Cenário e Figurino – ministrada pela cenógrafa e figurinista Fernanda Lopes Lima

As oficinas são voltadas para iniciantes e iniciados nas artes cênicas, atores, dançarinos, músicos, educadores e estudantes e profissionais afins. Serão oferecidas no máximo 20 vagas para as oficinas, dando prioridade àqueles que forem cursar todas as oficinas.

Atuação – ministrado por Rodolfo Vaz

Nascido em Belo Horizonte, em 1961, Rodolfo Vaz iniciou sua formação teatral na Fundação Clóvis Salgado, em 1979, e já acumulou diversos prêmios como ator. Em 1981 fez sua estreia profissional trabalhando com o diretor Eid Ribeiro, no espetáculo “O Despertar da Primavera” de Wedekind. Na Cia Sonho e Drama participou de “Grande Sertão Veredas”, de Guimarães Rosa, com adaptação e direção de Carlos Rocha. Em 1986, em Londres, trabalhou em oficinas com o grupo Theatre de Cumplicité. Em 1989 passou a integrar o Grupo Galpão, onde atuou em “Álbum de Família”, com direção de Eid Ribeiro, “Romeu e Julieta” e “A Rua da Amargura”, com direção de Gabriel Villela, “Um Molière Imaginário”, com direção de Eduardo Moreira, “Partido”, com direção de Cacá Carvalho, “O Inspetor Geral” e “Um Homem é um Homem”, com direção de Paulo José. Em 2008 ganhou o Prêmio Shell como melhor ator por “Salmo 91”, direção de Gabriel Villela, e em 2009 trabalhou com Regina Braga e o diretor Moacir Chaves, na peça “Por um Fio”. Em 2010 dividiu a cena com Débora Falabella, em “O Amor e Outros Estranhos Rumores”, com direção de Yara de Novaes. Em 2011 voltou a trabalhar com Eid Ribeiro, em “Antes do Silêncio”, adaptação da obra de Samuel Beckett que recebeu prêmios de melhor espetáculo e melhor ator, no Prêmio Sesc/Sated. No cinema participou de diversos longas, entre eles “Moscou”, de Eduardo Coutinho, “Pequenas Estórias”, de Helvécio Ratton, “Outras Estórias“, de Pedro Bial e “As Tentações do Irmão Sebastião”, de José Araújo. Na TV, trabalhou com Luiz Fernando Carvalho em “Hoje é Dia de Maria”, 1ª e 2ª jornada, e em “Capitu”, na preparação do ator Michel Melamed.

Preparação corporal – Fernanda Vianna.

É atriz profissional integrante do Grupo Galpão de Teatro. Ela iniciou a carreira como bailarina profissional no Grupo 1º Ato e depois ingressou no Grupo Galpão para fazer a personagem Julieta (Romeu & Julieta) na sapatilha de ponta.  Sua  brilhante atuação no  longa-metragem brasileiro   ” O que se move” de Caetano Gotardo lhe  rendeu  o prêmio de melhor atriz no Festival de Cinema de Gramado 2012 na categoria. Fernanda já participou de vários filmes, entre eles, “Vinho de Rosas” de Elza Cataldo, “Moscou” de Eduardo Coutinho, “O País do Desejo” de Paulo Caldas e “Um Pé de Laranja Lima” de Marcos Bernstein (lançamento em dez/2012) entre outros.

Dramaturgia: Eid Ribeiro

Diretor, autor, roteirista e ator. Destacado como um dos mais inventivos diretores mineiros, é curador e diretor de programação do Festival Internacional de Teatro Palco & Rua em Belo Horizonte. Representante de uma geração que marcou a consolidação da linguagem no panorama artístico da capital mineira,  atuou nos espetáculos Mortos Sem Sepultura, de Jean-Paul Sartre e Se Correr o Bicho Pega, Se Ficar o Bicho Come, de Oduvaldo Vianna Filho e Ferreira Gullar, ambos dirigidos por José Antônio de Souza.  No  Rio de Janeiro em 1969, e atua como assistente de direção de Amir Haddad, encena em 1973 Fala Baixo Senão Eu Grito, de Leilah Assumpção, pelo qual recebe o prêmio de melhor diretor do ano. Dirige em 1974 a primeira montagem do texto Há Vagas para Moças de Fino Trato, de Alcione Araújo, e ganha o Troféu de Prata na categoria melhor diretor do ano. Dirigiu o Grupo Galpão no espetáculo de rua Corra Enquanto é Tempo, criação coletiva com texto de sua autoria. Atuou como curador e diretor de programação do Festival Internacional de Teatro Palco & Rua – FIT, em Belo Horizonte, paralelamente à criação artística. Atuou na coordenação artística da ONG Circo de Todo Mundo, assinando também a direção geral, criação de trilha sonora. Dirige novamente um espetáculo de conclusão de curso de teatro do Centro de Formação Artística da Fundação Clóvis Salgado, em 2000, com o texto Festa de Casamento, de Bertold Brecht. No ano seguinte, assina direção e dramaturgia do espetáculo Lusco-Fusco – Ou Tudo Muito Romântico, produção conjunta da sua companhia, a Absurda, e da Cia Acômica, e em 2002, integra o quadro de roteiristas do longa-metragem Uma Onda no Ar, com direção de Helvécio Ratton. Em 2005, Ribeiro dirige a comédia Os Três Patéticos, do Grupo Trama de Teatro, e inicia parceria artística com um projeto social do Governo do Estado, o Programa Valores de Minas, atuando em três montagens sucessivas. No primeiro ano, realiza a direção do espetáculo Delírio Barroco, em parceria com Carlos Gradim; em 2006, assina o roteiro de A Estrada dos Sonhos; e, em 2007, atua como roteirista de Opara.

Figurino e Cenário:  Fernanda Lopes

Professora no curso de artes Cênicas Palácio das Artes.Esta Oficina tem por objetivo aproximar o público interessado em teatro, cinema e produções artísticas em geral ao universo do Figurino e Cenografia, através da abordagem teórico-expositiva de conteúdos que contemplem determinados conceitos e técnicas visuais utilizados no processo criativo de projetos cênicos abordando os  conceitos relacionados à composição estética cênica.

Publicidade

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.