Lançamento do livro “A dança e o agit-prop” de Eugenia Casini Ropa

A DANÇA E O AGIT-PROP
Os Teatros Não Teatrais na Cultura Alemã do Início do Século XX
EUGENIA CASINI ROPA  
TEATRO
Estudos 329
ISBN 9788527310239
224 páginas
272 gramas
12,5X22,5X1,2  cm
R$ 48,00 
Edição: 1ª edição – 2014
 
Reteatralização é o termo que traduz uma das tendências mais marcantes do movimento teatral do século XX, o da corrente estética que marcou a renovação da arte da cena em duas de suas principais incorporações representativas: o teatro e a dança.
Suas mais destacadas manifestações resultaram nas realizações de um Meierhold, um Piscator ou do teatro político, no palco dramático, mas sempre entrecruzando-se na dança com as propostas e performances de um Dalcroze, de um Laban, que encontraram em Mary Wigman sua síntese. Em todos eles, destaca-se a intensa busca pela integração psicofísica no gesto significativo do atuante, visando a criação de uma nova performatividade, bem como a liberação e a participação do público. Assiste-se aí, pois, ao nascimento da nova dança a partir das pesquisas sobre o movimento, da revitalização do corpo e da busca por uma nova expressividade que, embora com território próprio e distinto do teatral, dele extrai suas motivações e sentido. Tal é o cerne de sua mobilização pelo e para o agit-prop, como arma de esclarecimento e convocação, a partir da qual, através da atuação artística com base numa fé política de molde marxista, se propõe a gerar uma comunidade homogênea do ponto de vista ideológico, capaz de representar uma linguagem artística própria e “comunicar os seus princípios”.
Esse percurso intelectual, vivencial e performático do corpo-alma e as práticas artísticas e metódicas para consubstanciá-lo balizam a análise e as teses deste estudo abrangente que Eugenia Casini Ropa apresenta em A Dança e o Agit-Prop: Os Teatros Não Teatrais na Cultura Alemã no Início do Século XX, com o qual a editora Perspectiva procura contribuir mais uma vez para o pensamento e o debate sobre o teatro e a dança no Brasil.
J. Guinsburg
Mais informações no site da editora
Anúncios

EMERGENYC 2015 – Instituto Hemisférico de Performance e Política

Apply today for EMERGENYC 2015! Deadline: February 9th

The Hemispheric Institute is excited to announce that applications are now open for our upcoming program, EMERGENYC 2015 (April 11–July 11, 2015). See below for information about the program, application guidelines, and the deadline for applications.


The Hemispheric Institute of Performance and Politics at New York University is now accepting applications for its eighth year of EMERGENYC, the Hemispheric New York Emerging Performers Program focused on political performance. EMERGENYC aims to support the development of “hemispheric” emerging artists through a program of workshops and events between April 11 and July 11, 2015.

We seek talented, committed, and highly motivated young performers/activists/artists whose work functions as a vehicle for political expression and social change, and who examine the broad range of identities, practices and histories of the Americas (the western hemisphere, thus “hemispheric”) through genres such as spoken word, street performance, satire, political cabaret, performance art, video performance, movement, and others. (Click for application guidelines and to read more about the program, faculty, and alumni…)

60 seconds dance – seleção de videodanças

60secondsdance promotes the art form of dance film and gives dance filmmakers an online platform to showcase their work. The winning films will enter our Nordic curated compilation, and be distributed to our extensive network of screening venues, festivals and broadcasting networks. We aim to show dance films with high artistic quality to a large number of audiences in urban as well as peripheral localities.

60secondsdance is co-produced by three partners: Loikka Dance Film Festival (FI), Dansehallerne/ScreenMoves (DK) and ScreenDance Festival (SE).

Each country will have a winner, runner up and audience award. This means that a submitted filmhave the opportunity to win in all three countries.

Winner: € 1500
Runner up: € 500
Audience award: Voucher for entry fee for Loikka Dance Film Festival 2016 + 2 festival passes

There is no entry fee!

To participate click here

Verão Arte Contemporânea – BH

 

Homenageando a tropicalidade brasileira, em sua 9ª edição, o Verão Arte Contemporânea – VAC volta a ocupar Belo Horizonte com uma vasta programação cultural. Com o tema Flor e Cultura em sua abertura, que acontece nesta sexta-feira, 9, no Museu de Arte da Pampulha, o evento traz mais de 40 atrações para a capital mineira até o dia 12 de fevereiro.

Produzido pelo Grupo Oficcina Multimédia (GOM) em parceria com a produtora Mercado Moderno, o VAC pretende divulgar e promover a produção local de qualidade como um pólo de atração de turistas à cidade durante o verão. Os idealizadores do evento pretendem formar e expandir o público que consome cultura na capital e na região metropolitana de Belo Horizonte.

“A 9ª edição do VAC mantém a proposta de realizar um evento pautado na diversificação da manifestação artística, expressando a pluralidade de informações culturais próprias da contemporaneidade. Com este objetivo, o evento reúne artistas e grupos de diversas áreas, todos com o mesmo objetivo: levantar questões e propor respostas que sensibilizem o público e que venham enriquecer e ampliar a sua relação com a arte e com a própria vida”, comenta Ione de Medeiros, idealizadora e curadora do evento.

A agenda do evento conta com sete companhias de dança, além do Palco Hip Hop, com Danças Urbanas, e uma instalação idealizada pela bailarina e coreógrafa Adriana Banana. Propondo uma horizontalização das disciplinas ao criar uma hibridização das mesmas através do uso de vídeo-partituras, o VAC 2015 apresenta ainda a perfomance multimídia Inscrição-memória-rasura, trabalho colaborativo entre Dorothé Depeauw, Maya Dalinsky e o trio de música experimental Infinito Menos.

A programação completa do VAC 2015 você confere aqui.

From idanca.net

Performance Navios no SESC Pompéia

navios14
Jogo de dança que se propõe a desenhar o espaço a partir da ligação entre os performers, o SESC Pompeia recebe a performance Navios. Criada em 2014 na cidade de Santos, a performance faz agora sua estreia em São Paulo com a colaboração de artistas das duas cidades.

Com criação, direção e concepção da bailarina, pesquisadora e docente da UNIFESP Marina Guzzo, o jogo de ocupação se inspira no conceito de Michel Foucault sobre as heterotopias: “lugares absolutamente diferentes: lugares que se opõem a todos os outros, destinados, de certo modo, a apagá-los, neutralizá-los ou purificá-los (…)”.

A partir dessa ideia e em uma pesquisa realizada no Laboratório Corpo e Arte da UNIFESP – Campus Baixada Santista, a proposta da performance é criar cartografias dançadas em espaços abandonados ou plataformas esquecidas: ali onde a memória e o sentido parecem ter sido arruinados.

A performance fica em cartaz de 23 a 25 de janeiro.

From idanca.net