Chã

O videodança Chã, do coletivo Anticorpos – Investigações em dança, nasce como reelaboração do material gravado para o média metragem FRONT. No ano de 2022 já foi selecionado e apresentado nos festivais internacionais: RASGO – Mostra Latinoamericana de Videodança, Inmediata Festival Internacional de Videodanza e Festival Niamakala 2022.

sinopse
Chã é um videodança que homenageia os mortos de minha linhagem materna, germinada nas montanhas do interior de Alagoas (Brasil), na cidade de Chã Preta. É a experiência de uma memória ficcional em relação a uma ancestralidade difusa entre o povo Xucuru-Cariri e os habitantes do antigo Quilombo do Palmares. Uma experiência videográfica que se desenvolve sobre e sob uma terra feminina, um solo fértil que abriga os fluxos entre a vida e a morte. Chã é também uma das células videográficas que compõe em fragmentos o média metragem FRONT. do coletivo Anticorpos – investigações em dança.

synopsis
Chã is a video dance that honors the dead of my maternal lineage, germinated in the mountains of the interior of Alagoas (Brazil), in the city of Chã Preta. It is the experience of a fictional memory in relation to a diffuse ancestry between the Xucuru-Cariri people and the inhabitants of the ancient Quilombo dos Palmares. A videographic experience that develops over and under a female land, a fertile soil that shelters the flows between life and death. Chã is also one of the videographic cells composed in fragments of the medium film FRONT. from the collective Anticorpos – investigations in dance.

direção, edição e som / direction, edition and sound
éden peretta

imagens / photography
priscilla freitas
éden peretta

dança / dance
éden peretta
quino

produção / production
anticorpos – investigações em dança

Chã from Anticorpos on Vimeo.

Publicidade

FRONT. – novo trabalho do coletivo Anticorpos

Em outubro estreia a primeira aventura “cinematográfica” do coletivo Anticorpos. Em uma tentativa “vintage” ressuscitamos o formato média-metragem e lançaremos nosso primeiro filme intitulado FRONT., em formato virtual, dentro da II Mostra Multi da Universidade Federal de Ouro Preto. Atravessados pela imagem trazida por Tatsumi Hijikata de que dançarinos são “armas letais que sonham”, propomos aqui um percurso imagético no processo de construção de 9 dançarines que se prepararam para suas batalhas diárias. Valendo-se do processo de criação dramatúrgica das “cinco peles” desenvolvido pelo professor Éden Peretta, a artista Vina Amorim conduziu o processo criativo no qual as dançarines investigaram suas próprias peles e criaram suas dramaturgias íntimas, sempre atravessadas pela constatação de que, no contexto obscuro em que vivemos, todos os dias são dias de luta: nosso front de batalha cotidiana edificado nas fronteiras de nossos corpos. Qual é a sua batalha?

Confira mais detalhes aqui

Mestrado no Centro Coreográfico Nacional de Montpellier – França

O Centro Coreográfico Nacional de Montpellier Languedoc-Roussillon – CCNMLR, na França, está com inscrições abertas para o mestrado exerce de estudos coreográficos – pesquisa e performance. O programa, que vai de outubro de 2015 a junho de 2017, é aberto a estudantes de dança maiores de 22 anos de todas as nacionalidades, formando uma turma de 13 a 16 participantes. Os interessados devem ser comprometidos com alguma carreira coreográfica ou oriundos de outros campos artísticos como artes plásticas, teatro, música, cinema e tecnologia digital, além de preocupados com questões envolvendo o corpo e movimento. É necessário ter ensino superior em arte completo (bacharelado ou equivalente) ou experiência profissional que possibilite reconhecimento da prática adquirida. Os participantes devem ter disponibilidade para cursar os dois anos do mestrado e domínio de francês e inglês. Com audições a partir do dia 25 de fevereiro, o prazo para envio de propostas vai até 22 de janeiro. Para mais informações sobre o programa, requisitos e acessar o formulário de inscrição, clique aqui (site em inglês).

Arquitetura voltada para a criação

Situado no centro histórico de Montpellier, o Centro Coreográfico Nacional tem direção artística do coreógrafo Christian Rizzo e desde 2011 oferece o mestrado dirigido exerce. Seu objetivo é oferecer uma formação de troca dentro de um espaço pensado para facilitar criações, pesquisas, ensaios e apresentações em dança contemporânea, além de contar com a constante presença de artistas internacionais.

From idanca.net

Lançamento do livro “A dança e o agit-prop” de Eugenia Casini Ropa

A DANÇA E O AGIT-PROP
Os Teatros Não Teatrais na Cultura Alemã do Início do Século XX
EUGENIA CASINI ROPA  
TEATRO
Estudos 329
ISBN 9788527310239
224 páginas
272 gramas
12,5X22,5X1,2  cm
R$ 48,00 
Edição: 1ª edição – 2014
 
Reteatralização é o termo que traduz uma das tendências mais marcantes do movimento teatral do século XX, o da corrente estética que marcou a renovação da arte da cena em duas de suas principais incorporações representativas: o teatro e a dança.
Suas mais destacadas manifestações resultaram nas realizações de um Meierhold, um Piscator ou do teatro político, no palco dramático, mas sempre entrecruzando-se na dança com as propostas e performances de um Dalcroze, de um Laban, que encontraram em Mary Wigman sua síntese. Em todos eles, destaca-se a intensa busca pela integração psicofísica no gesto significativo do atuante, visando a criação de uma nova performatividade, bem como a liberação e a participação do público. Assiste-se aí, pois, ao nascimento da nova dança a partir das pesquisas sobre o movimento, da revitalização do corpo e da busca por uma nova expressividade que, embora com território próprio e distinto do teatral, dele extrai suas motivações e sentido. Tal é o cerne de sua mobilização pelo e para o agit-prop, como arma de esclarecimento e convocação, a partir da qual, através da atuação artística com base numa fé política de molde marxista, se propõe a gerar uma comunidade homogênea do ponto de vista ideológico, capaz de representar uma linguagem artística própria e “comunicar os seus princípios”.
Esse percurso intelectual, vivencial e performático do corpo-alma e as práticas artísticas e metódicas para consubstanciá-lo balizam a análise e as teses deste estudo abrangente que Eugenia Casini Ropa apresenta em A Dança e o Agit-Prop: Os Teatros Não Teatrais na Cultura Alemã no Início do Século XX, com o qual a editora Perspectiva procura contribuir mais uma vez para o pensamento e o debate sobre o teatro e a dança no Brasil.
J. Guinsburg
Mais informações no site da editora

Min Tanaka em São Paulo, Ouro Preto e Rio de Janeiro

 

Uma das expressões da dança experimental de vanguarda do Japão, Min Tanaka apresenta seu mais recente trabalho – Locus Focus Project – no palco do Centro de Pesquisa Teatral (CPT-SESC), na unidade Consolação, em São Paulo, nos dias 15 e 16 de julho. Inédito no Brasil, o espetáculo já percorreu várias localidades urbanas e rurais do Japão, Índia, África e Europa.

Projeto site-specific no qual o artista cria improvisações por todos os lugares e teatros onde se apresenta, Locus Focus Project se dá a partir de um diálogo profundo com os espaços e as pessoas que fizeram parte da história dos locais onde o projeto ocorre. Neste trabalho, Tanaka se alimenta do máximo de informações e sentimentos a respeito do lugar onde irá dançar.

“Quando eu falo ‘dançar um lugar’, eu quero dizer que o lugar tem que ser um lugar onde eu possa contemplar o meu próprio cadáver. É isto que me permite dançar ali. Moléculas são produção de energia e são elas que me encorajam a dançar. Graças à interação entre o magma subterrâneo e a vida na superfície do solo, eu posso dançar ali. Eu só estou lá tomado, no meio dessa interação”, explica o bailarino. “Depois eu deixo vir aquilo que tem significação para mim, mas não para criar uma coreografia… A questão essencial é: que tipo de pessoa eu quero ser quando eu estiver dançando ali?”

Profundamente inspirado por Tatsumi Hijikata, o fundador do Ankoku Butô – a dança das trevas, Min Tanaka é formado em balé clássico e dança moderna. Encontrou com Tatsumi na década de 1960, nos primeiros momentos do butô e trabalharam juntos entre 1983 e 1985, quando Hijikata tinha voltado a dançar após uma interrupção de sete anos.

Apesar de sua formação clássica, o artista era cético com a identidade cultural japonesa do pós-Segunda Guerra, e por isso desertou da comunidade da dança em 1966, quando foi expulso da Associação de Dança Contemporânea Japonesa. Em 1970, desenvolveu a “hiperdança”, que enfatizava a unidade psicofísica do corpo, causando um grande impacto cultural, tanto na arte e na cultura japonesa, quanto no exterior, através de sua colaboração com intelectuais, cientistas e artistas de seu tempo.

Passagem pelo Brasil também inclui palestra

Tanaka também ministra palestra no dia 14 de julho, no SESC Consolação, às 20h, intitulada Imagens do Corpo, com participação de Christine Greiner. Em sua segunda vez ao Brasil – a primeira foi em 1995, quando apresentou o espetáculo Seasons –, além das apresentações em São Paulo, Tanaka segue também com o Projeto para o Festival de Inverno de Ouro Preto (18 e 20 de julho) e Rio de Janeiro (22 de julho).

 

From idança.net

 

Residência com Eduardo Fukushima – BH

Em Residência convida Eduardo Fukushima
Encontro ocorre de 18/07 a 02/08 e inscrições para as atividades já estão abertas
 
A edição de julho do projeto Em Residência convida o coreógrafo e dançarino Eduardo Fukushima. O encontro, que ocorre de 18 de julho a 2 de agosto, propõe uma vivência intensa em criação e estudos do movimento voltado para artistas e intérpretes criadores de dança, performance e teatro, amadores e profissionais. O evento ocorre no Espaço Multiúso do Sesc Palladium. As inscrições gratuitas podem ser feitas até o dia 16 de julho, pelo e-mail educativopalladium@sescmg.com.br. As vagas são limitadas.
A residência consistirá em dois momentos. Na primeira parte, será realizado um treinamento corporal a partir de práticas orientais do movimento. Na segunda etapa, o foco será na criação e composição por meio de exercícios de improvisações individuais e em grupo. Pesquisando o estar só e acompanhado, o dentro e fora do corpo, a busca da sutileza de comunicação entre corpos, o movimento e a sonoridade, investigando a possibilidades de expressão e comunicação do movimento.
Para apresentar o resultado da residência, haverá um bate-papo e a mostra de processo em 2 de agosto, às 19h, no Espaço Multiúso do Sesc Palladium. A entrada será mediante a inscrição pelo e-mail educativopalladium@sescmg.com.br até às 13h do dia 1º de agosto.
SOBRE EDUARDO FUKUSHIMA
Formado em Dança no Curso Comunicação das Artes do Corpo na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Realiza pesquisa solo em dança contemporânea desde 2007. Premiado pela Bolsa suíça Rolex Mentor and Protègè Arts Initiative 2012/2013 para estudar durante 1 ano em Taiwan com o coreógrafo e escritor Lin Hwain Min, diretor artístico da Cloud Gate Dance Theatre.
Em 2012, foi um dos 1000 artistas, dentre 100 nações, selecionado para participar do encontro de artes Weya em Nothingham, na Inglaterra. Realizou apresentações de seus trabalhos em diversas cidades brasileiras e em algumas fora do Brasil.
Começou a dançar profissionalmente com Key Sawao e Ricardo Iazzettta, em 2005. Trabalhou com os coreógrafos Ângelo Madureira e Ana Catarina Vieira, Célia Gouvêa, Luis Fernando e Myako Kato e cia.
Tem como principais professores Key Sawao, Ricardo Iazzetta, Toshi Tanaka, Vera Sala, Marta Soares, Rosa Hércules, Gabi Imparato, Zélia Monteiro, Sônia Galvão, Mriam Druwe, Luis Fernando Bongiovanni, Ângelo Madureira, Ana Catarina Vieira, Raymundo Costa, Yoko Okada, Cristine Greinner, Helena Katz, Betsy Lobato, Andréia Pivatto, Alexandre Tripiciano e Camila Vinhas. Pratica técnicas corporais orientais como Chi Kung e Seitai-ho desde 2005.
SERVIÇO
Evento: Projeto Em Residência com Eduardo Fukushima
Data: 18/07 a 02/08 – exceto dias 25, 26 e 27/07
Horário: das 18h às 22h
Local: Espaço Multiúso do Sesc Palladium (rua Rio de Janeiro, 1046, Centro)
Inscrições gratuitas pelo e-mail educativopalladium@sescmg.com.br até o dia 16/07. Vagas limitadas.
Duração: 44 horas (4 horas/dia)
Classificação: 16 anos
Público-alvo: artistas que estão interessados em criação através do movimento, intérpretes criadores de dança, performance e teatro, amadores e profissionais.
Evento: Mostra de processo Em Residência
Data: 02/08
Horário: 19h
Local: Espaço Multiúso do Sesc Palladium (rua Rio de Janeiro, 1046, Centro)
Inscrições gratuitas pelo e-mail educativopalladium@sescmg.com.br até às 13h do dia 01/08. Vagas limitadas.
Duração: 60 minutos
Classificação: 14 anos
 

Informações para a imprensa(31) 3279-1457 / 8744-5409 / imprensa@sescmg.com.br

Informações sobre o evento (público): (31) 3270-8100
Descrição: Descrição: cid:image001.png@01CD928C.C51B7480
Assessoria de Comunicação
Coordenação de Comunicação
Departamento Regional de Minas Gerais
Tel (31) 3279-1479 | (31) 3279-1457 | Cel (31) 8744-5409
www.sescmg.com.br

Residência “NAVIOS” – SESC Santos

A bailarina, acrobata e pesquisadora das artes do corpo Marina Guzzo realiza no SESC Santos, de 1 a 6 de julho, a residência artística Navios. Proposta de pesquisa em dança contemporânea que vem sendo desenvolvida por Guzzo no Laboratório de Artes do Corpo da UNIFESP, o programa recebe inscrições até esta terça-feira, 24.

Com uma proposta pensada a partir da imagem de um barco, pedaço de espaço flutuante ligado ao infinito do mar, a pesquisa/residência propõe criar cartografias dançadas em espaços abandonados, em plataformas esquecidas, ali onde a memória e o sentido parecem ter sido arruinados. Ao término da residência, será realizada uma abertura do processo para o público.

Interessados devem enviar e-mail para liliane@santos.sescsp.org.br com o nome completo, data de nascimento, telefone para contato e uma carta de intenções, dizendo por que você gostaria de participar do programa.

F.I.A – Formação Intensiva Acompanhada 2014/2015 – Portugal

 

c.e.m – centro em movimento, está com convocatória aberta para o F.I.A – Formação Intensiva Acompanhada 2014/2015,programa de investigação artística enraizado nos estudos do corpo e do movimento, que acontecerá de 20 de outubro de 2014 a 24 de abril de 2015, em Lisboa, Portugal.

O programa consiste em um período de seis meses dedicados à prática da investigação artística nos estudos do corpo e do movimento, propondo a afinação de percursos singulares criados no encontro com o outro e com o mundo.

O prazo para envio de candidaturas vai até 31 de julho. Para mais informações sobre os processos de inscrição e investimento, clique aqui.

De 20 de outubro de 2014 a 24 de abril de 2015

Inscrições até 31 de julho
Conversas por skype dias 4 e 5 de agosto
Resultado final dia 8 de agosto
Informações: producao@c-e-m.org | +55 21 887 17 63 | +55 91 970 83 36

c.e.m centro em movimento
Rua dos Fanqueiros, 150, 1°
Lisboa 1100-232
Portugal

From idanca.net