Cartograma – UNIFESP/Santos

Nos dias 28, 29 e 30 de Setembro acontecerá na UNIFESP – Campus Baixada Santista o Cartograma 2015. Um  encontro e compartilhamento de formas de pensar, conhecer, produzir e criar em arte e ciência. Aberto à artistas, estudantes e pesquisadores que estejam interessados em trocar procedimentos e modos de existir nas pesquisas envolvendo artes do corpo.

O Laboratório Corpo e Arte, em sua atual proposta de sedimentar uma Plataforma de Pesquisa e Produção Cultural na Unifesp Baixada Santista, empenha-se em promover diálogos entre a universidade e a sociedade para reinventar a cultura acadêmica e fomentar pesquisas em artes do corpo.

A imagem do cartograma nos instiga como um rascunho de mapas, desenhos inacabados de paisagens sonhadas e inventadas, a partir de pesquisas onde o corpo e a arte ocupam lugar central.

Para nós, Cartograma é um programa de intercâmbio, formação e pesquisa da UNIFESP-BS, desenvolvido Laboratório Corpo e Arte e pelo N(i)D – Núcleo Indisciplinar de Dança.

O programa prevê 2 eixos de ação anuais:

1)uma residência com artistas da cidade de Santos, que desenvolvem seus projetos ao longo do ano no espaço do Laboratório Corpo e Arte

2)a realização de um encontro de pesquisa e de compartilhamento junto com um festival de arte onde os processos serão apresentados ao público.

Programação e maiores informações aqui.

Publicidade

Mestrado em Empreendedorismo do Espetáculo – Universidade de Bolonha

Scadenza iscrizioni alla selezione: 04 dicembre 2014
Info e bando: http://www.unibo.it/it/didattica/master/2014-2015/imprenditoria_dello_spettacolo

 

Il Master, istituito dal Dipartimento delle Arti Visive, Performative e Mediali dell’Alma Mater Studiorum Università di Bologna, è gestito dalla Fondazione Alma Mater e vede la collaborazione della Fondazione ATER Formazione.
Obiettivo del corso, che risponde a precisi fabbisogni espressi dal mercato, è formare esperti nell’imprenditoria dello spettacolo dal vivo (Prosa, Musica e Danza) in possesso di competenze professionali rispondenti alle esigenze attuali del mercato nazionale e internazionale, in linea con l’evoluzione delle politiche culturali, sociali ed economiche.
A conclusione del percorso formativo, i partecipanti potranno inserirsi, con ruoli gestionali e organizzativi, nelle aree della produzione, distribuzione e promozione di enti pubblici e privati, teatri, compagnie, istituzioni culturali.

Insegnamenti:

1. Organizzazione dello spettacolo e dei suoi spazi;
2. Aspetti legislativi e politiche dello spettacolo;
3. Economia della cultura;
4. Gestione aziendale e amministrazione;
5. Elementi di drammaturgia musicale e teatrale;
6. Elementi di storia del melodramma e del teatro dell’800 e del ‘900;
7. Produzione e distribuzione delle attività di prosa, musica e danza;
8. Comunicazione e marketing dello spettacolo;
9. Politiche di sviluppo delle industrie creative e nuove tecnologie

Direzione e docenze
il Master è diretto da Marco De Marinis. E’ prevista la presenza di docenti dell’Università di Bologna e di altri atenei, di esperti provenienti dal mondo imprenditoriale, tra gli altri: Lucio Argano, Marco Beghelli, Franco Bianchini, Paola Bignami, Roberto Calari, Elena Cervellati, Marco De Marinis, Maurizio Frittelli, Roberto Grandi, Andrea Maulini, Lorenzo Scarpellini, Antonio Taormina, Michele Trimarchi, Cristina Valenti.

Dança em foco 2014 – RJ

De 26 de maio a 8 de junho, o dança em foco – Festival Internacional de Vídeo & Dança, leva sua programação gratuita a diversos pontos da cidade do Rio de Janeiro. Aportando no Teatro Maison de France, no Teatro Cacilda Becker e, pela primeira vez, no MAR – Museu de Arte do Rio, a edição deste ano conta com a MIV – Mostra Internacional de Videodança, sessões de vídeos comentadas, debates, além de palestra e oficina com a convidada internacional Andrea Davidson.

Há 12 anos na vanguarda da discussão sobre corpo e imagem, o Festival abre nesta segunda-feira, 26, com uma sessão especial daMIV, apresentando vídeos franceses no Maison de France. Serão exibidos os clássicos Merce Cunningham, la danse en héritage, de Marie Hélène Rebois e Vers Mathilde, de Claire Denis. Integrando o CineMaison, dois vídeos de Pierre Colibeuf, Dédale e Pavillon Noir, serão apresentados e comentados pela crítica e pesquisadora Silvia Soter e por um dos diretores do Festival, Eduardo Bonito.

Ocupando pela primeira vez a Escola do Olhar do MAR, o dança em foco leva ao Museu, vídeos, oficina e masterclass. “Com esta série de ações, a videodança passará a frequentar este novo espaço de cultura na cidade”, destaca Regina Levy, uma das diretoras do festival. Com curadoria de Paulo Caldas e Leonel Brum, a Escola também recebe sessões contínuas da programação da MIV, resultada da seleção de aproximadamente 200 trabalhos recebidos durante a convocatória anual. Entre os escolhidos, videodanças oriundas de 25 países, incluindo vídeos de artistas da República Dominicana, do Irã e da Eslováquia.

O Cacilda Becker, atualmente ocupado pelo projeto Parabólica, também recebe dentro de sua programação sessões da Mostra Internacional. Neste espaço, o Festival promoverá dois bate-papos (Diálogos) entre artistas, pesquisadores  e produtores: Curta a videodança na TV, com Bibiana de Sá e Lis Kogan, e A videodança no ensino: a experiência dos cursos superiorescom Deise Calaça, Felipe Ribeiro, Marcus Moraes e Roberto Eizemberg, nos dias 4 e 6 de junho, respectivamente.

Confira toda  a programação do dança em foco 2014 aqui.

From idanca.net

EXODUS: imagens que não se despedem de nós

 
por
Clóvis Domingos
Doutorando EBA/UFMG
Sobre o trabalho do Grupo de Pesquisa ANTICORPOS (DEART/UFOP).
Como definir o belíssimo espetáculo apresentado por Daniela Maia, Éden Peretta, Georgiana Dantas, Mariana Arantes, Mayra Pimenta e Panmella Ribeiro? Um espetáculo de teatro-dança. Um espetáculo de teatro-imagem. Uma junção de artes cênicas (presença de corpos vivos), artes plásticas (o movimento dos corpos, figurinos, objetos e luz), artes visuais (a força poética das imagens) e artes sonoras (musicalidades que nos colocam em transe).
Um trabalho sobre os deslocamentos humanos. Vida, morte, chão, terra e caminho. Estados de alma. Orientalismos. Ancestralidades. A vida acontece no meio (na trajetória) quando nos deslocamos de uma margem à outra carregando nossas pequenas bagagens ( A cena de passagem de Éden). Como Sísifos, estamos sempre a procura de um lugar? Fazer de um espaço um lugar. Ou condenados ao exílio?
Partimos sozinhos ou levamos os outros agarrados em nossos corpos? Nossos mortos respiram por nossos poros? Somos reféns da memória e da história? Caminhamos sob o passado sempre presente?
A cena da trança de cabelos amarrados feito um “cordão umbilical”: como cortar, como separar, como nascer e como individualizar?
O contemporâneo do tema numa atemporalidade, nos jogando no campo mítico. Nascimento e morte. A proximidade temática (materializada pelo “extraordinário artístico”) com a dinâmica quase cotidiana da cidade de Ouro Preto: “lugar de chegadas e partidas”.
A força das imagens através de quadros que se compõem em nossa frente (movimento e pausa) e estabelecem um tempo para se PERCEBER, receber a imagem, deixar-se afetar. A plateia respira junto (tempo partilhado), feito uma meditação, mas num ritmo potente que gera adesão ao que nos invade. Uma recepção tátil.
Cenas como paisagens nômades, flutuantes, arquetípicas e ritualísticas. A luz de Everton Lampe a simbolizar nossas claridades e escuros, dia e noite, medo e coragem, dor e alegria. Uma luz que também dança! Uma luz também peregrina.
Nos (anti)corpos dos bailarinos: desrostidade e despersonalização: eles são nós. E nossos sentidos dançam. Uma estética com linhas artaudianas. A referência ao butô. Um trabalho impactante apresentado com rigor técnico e aliando pesquisa e poesia.
Entre contemplação e experiência, senti os corpos dos viajantes, dos loucos, corpos-intensidade e errâncias infinitas. Na unidade de uma encenação plural todos os signos “falam”, sugerem e hipnotizam. Da roupa comum (início) à retirada dela chegando nas vestes ancestrais (os significativos figurinos de Bárbara Buzatti) e depois à nudez do final: SOMOS PÓ. (imagem do incenso).
ARRANCA MINHA PELE QUE EU QUERO NASCER DE NOVO!!!!
O teatro cósmico, as forças imateriais, a recepção calorosa da plateia que se sentiu transportada ao seu primitivo viver!!!!!
É o performer um imigrante? Como espectadores a encenação nos coloca migrando por diferentes correlações e sensações. Imagens que não nos abandonam.
Só nos resta o silêncio.
Fim de texto.
Fim de part/IDA.
Original publicado em HÍBRIDA na quinta-feira, 19 de dezembro de 2013
Foto de Gabriel Machado 

exŏdus – novo espetáculo do Anticorpos

exodus final pq

No dia 10 de dezembro de 2013, às 21h, ocorrerá no Teatro Ouro Preto (Centro de Convenções) a pré-estreia do espetáculo exŏdus, o novo trabalho do coletivo de investigações em dança – Anticorpos. A apresentação será com entrada gratuita e conta com o apoio da reitoria e do Departamento de Artes Cênicas da UFOP, bem como do MediaLab Caixa Preta, do grupo de pesquisa HÍBRIDA – poéticas híbridas da cena contemporânea e da empresa júnior Multicultural Produções Artísticas.

exŏdus

“Esta terra só será nossa no dia em que nela enterrarmos um morto”
Cem anos de solidão – Gabriel Garcia Marques

Este espetáculo de teatro-dança é o resultado de um processo desenvolvido pelo coletivo Anticorpos – investigações em dança. Uma pesquisa teórico-prática iniciada há mais de um ano e atravessada por diferentes dançarinos e dançarinas que contribuíram com suas inquietações. O estímulo inicial que fundamentou todo o processo foram as diferentes percepções e apropriações que cada membro do coletivo possuía em relação aos êxodos realizados pelo ser humano, seja em um nível pessoal seja coletivo: os grandes deslocamentos populacionais, forçados ou “espontâneos”. A pesquisa partiu tanto de estímulos físicos proporcionados pelas diferentes formas de deslocamento como das dimensões políticas e históricas inerentes aos êxodos de populações pelo mundo. Com esse fluxo bidirecional, a partir do material apresentado por cada dançarina, foram sendo estruturadas diferentes cenas que, gradualmente, propuseram uma maior homogeneidade à narrativa geral da obra. E assim, no colapso entre a experiência subjetiva e a amplitude das dimensões políticas do êxodo humano, foi tecido o presente espetáculo. Radicalmente coerente com a relação entre forma e conteúdo, muitos integrantes desta pesquisa realizaram fisicamente seus êxodos durante esses longos meses de trabalho, deixando o processo pelo caminho. Cabe aqui, portanto, o agradecimento a todos esses artistas que compartilharam conosco desse projeto desde seus rascunhos. A concretização deste espetáculo é, portanto, um ato de respeito e gratidão a todos e todas que dedicaram seu trabalho, sua vida e sua arte compartilhando conosco suas inquietações mais íntimas; todos que por aqui passaram e principalmente a todas que por aqui permaneceram para concluir este processo. Além, é claro, de ser uma respeitosa homenagem a todos e todas que um dia se viram – ou se virão – diante da obrigatoriedade de migrar, de flanar muitas vezes sem destino na busca incerta por uma terra aonde seja possível enterrar seus próprios mortos.

elenco
daniela maia, éden peretta, georgianna dantas, mariana arantes, mayra pimenta, panmella ribeiro

direção
éden peretta

iluminação
everton lampe

figurino
bárbara buzatti

assistência técnica
márcio masselli

agradecimentos
adriana maciel, aline andrade, alisson de oliveira, bárbara carbogim, bárbara henriques, carla gontijo, ernesto valença, fernanda bacha, grasieli gontijo, higgor vieira, julia adhara, marcelo fiorin, marlon santos, paula reis, paulo maffei, simone do carmo, wallisson gomes.

I Encontro Internacional de Palhaços de Cataguases (MG)

Dias 09, 10 e 11 de dezembro 2013

I ENCONTRO INTERNACIONAL DE PALHAÇOS DE CATAGUASES é o primeiro encontro de palhaços da Zona da Mata Mineira. Surge com a necessidade de realizar um intercâmbio cultural entre artistas e palhaços de diversas partes do mundo com a comunidade cataguasense e com os artistas e os palhaços mineiros.

O Encontro irá proporcionar à cidade de Cataguases uma intensa programação cultural, de acesso facilitado, promovendo uma integração com o espaço público e com os espaços culturais disponíveis. A programação conta com a apresentação de espetáculos locais e internacionais, oficina, cortejo cultural, lançamento de livro, palestras e apresentação de documentários.

Teremos a presença especial do Palhaço Sagrado da tribo Krahô, o Hotxuá Ismael Aprak Krahô, do Tocantins, que irá apresentar a “brincadeira” do Hotxuá, que faz parte de um importante ritual Krahô. A participação internacional se dará com o renomado bufão Andrés del Bosque, professor da Real Escola Superior de Arte Dramática de Madri. Além de outras atrações o Encontro contará com o Lançamento do Livro do Pós Doutor em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Bahia, Demian Reis chamado: “Caçadores de Risos- o maravilhoso mundo da palhaçaria”.

As parcerias, apoios e o patrocínio da Companhia Industrial Cataguases, Instituto Francisca de Souza Peixoto e da Secretaria de Cultura da Cidade de CataguasesSecretaria de Assistência Social de Cataguases e Universidade Federal da Bahia irão gerar um excelente Encontro, abrindo espaço para que os projetos e os artistas locais apresentem seus trabalhos e propiciando um aprofundamento na investigação sobre a arte de fazer rir, em especial a arte do palhaço, transformando-se, ao longo dos anos, em um potente espaço de intercâmbio, reciclagem e qualificação profissional.

Maiores informações no site.

Edital do Programa Cena Minas

 

 

Estão abertas até o dia 9 de dezembro, as inscrições para o edital do programa Cena Minas, Prêmio de Artes Cênicas de Minas. A sexta edição do programa, promovido pelo Governo de Minas Gerais, conta com novidades como o aumento do valor da premiação e do número de projetos contemplados. A premiação deste ano teve um aumento de 27% em relação à edição anterior. Com isso, o programa Cena Minas recebeu um aumento de R$363 mil no valor total repassado aos projetos. O número de projetos beneficiados nesta edição também irá aumentar de 45 para 54 propostas.

O Cenas de Minas irá considerar os projetos em três categorias:

Categoria I – Manutenção de Espaços Cênicos. Total da premiação: R$ 600.000,00, distribuídos em 15 prêmios de R$ 40.000,00. Serão contemplados cinco espaços de cada área(Teatro, Dança e Circo).

Categoria II – Circulação de Espetáculos Cênicos. Total da premiação: R$ 630.000,00, distribuídos em 21 prêmios de R$ 30.000,00. Serão contemplados sete espetáculos já estreados em cada área(Teatro, Dança e Circo).

Categoria III – Aquisição de Equipamentos e Materiais. Total do investimento: R$ 468.000,00, distribuídos em 18 prêmios de R$ 26.000,00. Serão contemplados seis grupos de cada área (Teatro, Dança e Circo).

Os participantes podem ser pessoas físicas e pessoas jurídicas (de natureza prioritariamente artístico-cultural) com ou sem fins lucrativos, coletivos, grupos e companhias artísticas permanentes de teatro, dança ou circo. Todos devem conter, no mínimo, um ano de efetiva atuação devidamente comprovada na área de artes cênicas. A documentação exigida no edital e o projeto deverão ser entregues pessoalmente na Secretaria de Estado de Cultura ou enviados pelos Correios, via sedex com AR.

O edital completo está disponível no site. Em caso de dúvidas, entrar em contato através do e-mail: cenaminas@cultura.mg.gov.br ou pelos telefones (31) 3915 2660 / 3915 2673.